2006-09-22


Lugar Nenhum

O descanso de tuas palavras
Tem uma luz mansa
de abajur
Frágil, intocada
Luz, no leve perpassar do tempo
Embaraçando cabelos
Desatando mentes
Cá na escuridão do mundo

A rebeldia que nos alimenta
Vem talvez do fel
Derramado pela serpente adâmica
Vem talvez da morte
De heróis que não se sabiam
Vem talvez da dor
De crianças desnascidas
Vem talvez de nós
E dessa vontade incontrolável
De ser.

Damário Cruz

1 comentário:

  1. Tão lindas e profundas palavras
    Um diálogo com o eu interno, em momentos de solidão.

    ResponderEliminar