2007-08-24

de que tem medo, sr cardeal Saraiva Martins?



– Há quem defenda que a crise de vocações se resolvia com a ordenação sacerdotal das mulheres.

Estou certo de que a ordenação das mulheres nunca acontecerá.

Porquê?

Não sei porque é que esse problema se há-de colocar. As mulheres são preciosas para a Igreja e têm um vastíssimo campo de trabalho, no qual têm dado mostras de grande capacidade. Contudo, essa questão teológica da ordenação não deve ser colocada. É que não há no Evangelho nada que nos permita trilhar esse caminho. Além de toda a tradição histórica da Igreja. Repare: os apóstolos foram ordenados por Cristo e Nossa Senhora não. No entanto, no plano do culto, Nossa Senhora está acima dos apóstolos. Isto para dizer que as mulheres não precisam de ser ordenadas para atingir o mais alto do Céu.

(Cardeal Saraiva Martins ao Correio da Manhã)


"Os apóstolos foram ordenados por Cristo e Nossa Senhora não" - Uma argumentação brilhantíssima. Não haja dúvidas. E parece que no Céu há lugares mais baixos e mais altos. De qualquer modo só pode haver uma Nossa Senhora...às restantes mulheres, restará limpar o pó das cadeiras à esquerda e à direita.
Mas enquanto não se resolvem a ordenar mulheres, vão-se criando uns modelitos para verem que as coisas iam melhorar e muito.

7 comentários:

  1. Boa pergunta, mas ele não vai responder... vai continuar a dizer que os apóstolos de Jesus eram todos homens e etc...

    Só que estamos no século XXI...

    ResponderEliminar
  2. Com Saraiva's assim, a Igreja segue o seu caminho inexorável de se reduzir a uma, cada vez mais inevitável, aberração histórica.
    Haja paciência para tão pouca inteligência.
    Faça terapia, sr Saraiva. Isto é caso de internamento.
    Fernanda Costa

    ResponderEliminar
  3. Sim...

    Isso para não voltar a falar na questão do sexo, com que a Igreja e a sociedade secular, em geral, parecem obcecadas... Sempre pelas piores razões.

    Ninguém me consegue tirar da cabecinha que o sexo fora da instituição matrimónio não é pecado. Muito mais aberrante é a banalização do mesmo numa série de posições acrobáticas infinitamente exploradas nos meandros das revistas da moda...
    Mas agora parece que o sexo, para a "igreja", é tão importante, tão especial, tão expressão última dos meus sentimentos para com alguém que só tem o seu espaço dentro do casamento. Um solteiro não tem direito a ter sexo. Tem direito a manipular outro para o matrimónio com esse fim... Seja o sexo uma "porcaria" a ser celebrada de olhos fechados pelo bem da procriação, ou a coisa mais especial e única no mundo, tão única que só deve ser consumado depois de nos casarmos, para a igreja é sempre moeda de troca de sentimentos. Que tristeza...

    Que tristes que somos quando perdemos a noção da intimidade com o outro...

    É deixar os Saraivas agarrados ao último baluarte da hierarquia: "menina não entra!"
    Patetas somos nós em nos deixarmos escravizar numa relação assim... É essa a igreja que querem, meus meninos? Então vão lá brincar com ela... Da outra, com I maiúsculo, reza a história que não se sabe muito bem quem dela faz parte. É a do Céu. Agarrai-vos bem às batinas, porque até pode ser que não façam parte dela... A acreditar na bondade de Deus, creio que sim, que os idiotas que continuam a fazer discriminação de género também lá irão todos entrar. Porque a Deus, tudo é possível...

    Nas palavras de Luís de Freitas Branco: "Não posso servir as direitas, a religião católica e a moral burguesa em que não creio. Só tenho uma coisa a fazer: romper, viver a vida em que creio, a vida de verdade". A que não fica à espera do aval da sacristia.

    ResponderEliminar
  4. Isto não ficou muito bem "dizido"...

    *Ninguém me consegue meter na cabecinha que o sexo fora da instituição matrimónio é pecado...

    Assim está melhor... Ai, estas férias entorpecem os neurónios... Lol!

    ResponderEliminar
  5. Como diria o outro, as mulheres têm um papel tão importante na Igreja, como lavar o chão das igrejas, compor as flores nos altares e passar a ferro as fatiotas dos padres), porque raio querem aceder ao sacerdócio?
    ESta gentinha tem medo das martas e só falam das marias...

    ResponderEliminar
  6. Muito sinceramente, não vejo mal nenhum em que as mulheres possam exercer o sacerdócio, penso até que uma certa padralhada retrógrada e consevadora apenas discorda por medo de concorrência.
    Penso também que deveria ser dado aos padres, o direito de casar e de constituir familia, pois andarem a comer as mulheres aos outros às escondidas é que não é nada!

    ResponderEliminar
  7. Será assim tão importante termos mulheres padres?
    Essa questao para mim sempre foi secundaria, porque acho que o mais importante é que Cristo chegue a todos, e se só haviam discipulos Homens por alguma razao haveria de ser.

    Um grande beijinho

    ResponderEliminar