2007-12-13

sem ruído, espero!

A Bíblia e a Igreja é uma espécie de jardim-infantil da fé. O pessoal devia passar lá uns tempos depois da conversão e a seguir ser mandado para casa, para viver o dia a dia sem ruído entre si e Deus.

(João Leal in Trento)



Sou dos crentes, alguém que muitas vezes se questiona sobre as razões da sua (minha) fé. Desde o berço inserida na Igreja Católica, activa q.b. (até há bem pouco tempo), nem sempre me é fácil perceber o que define o meu acreditar. Muito nele se insere o meu modo de ser e agir. Muito aberta ao que me rodeia, teimosa, medricas muitas vezes... e muito mais.



Confesso que a estrutura Igreja Católica se foi tornando quase intolerável. Por diversas razões. Várias vezes disse que ainda chegaria ao ponto de não saber o nome do meu prior. Neste momento estou quase nesse ponto. É confortável, confesso. Tornei-me uma "papa-hóstias" consumista. O papa escreveu uma nova encíclica que ainda não me apeteceu ler. Parece que estou a caminhar a passos largos para aquilo que o João Leal define como a saída do jardim-infantil da fé. Criar um tempo em que não haja ruído exterior entre mim e Deus. Era bom era! O problema é que a nossa conversão nunca é coisa acabada. E se a minha fé tem uma dimensão pessoal e intransmissível, também a tem comunitária. Eu não vou sozinha para Deus. Ou vou com todos, ou não vou. Digamos que estou num período de pousio. Quero saboreá-lo plenamente. Mas também quero escutar os apelos de Deus. Vão ser-me feitos pela vida. Espero!

2 comentários:

  1. :-)

    Mas não iremos sempre sozinhos para tudo? Para Deus, para a morte, e quantas, quantas vezes num relacionamento a dois (diria mesmo que sempre)...

    Não me assusta nem me melindra o caminho da solidão para Deus. Desde que saiba estender a mão ao outro, nunca para o arrastar a trote das minhas convicções e do que eu penso ser melhor para ele. Mas, simplesmente, para saber ser em comunhão. Já estou para lá de "papar-hóstias"... Estamos silenciosamente, Ele e eu, a criar pontes que nos unam. A hierarquia venceu-me pelo cansaço. Não lhe encontro nem solução, nem salvação. A minha, certamente, não passa por lá...

    ResponderEliminar
  2. Querida Raquel,

    cada um tem mesmo de fazer o seu caminho. Desejo que encontres sempre luz no teu.

    beijos

    ResponderEliminar