2008-05-30

aberrações sexistas:


3 comentários:

  1. Pois é um caso do caraças aliás como todos os que metem arabes. O divorcio e anulação do casamento deve ser regulado pela lei do pais de residencia e de casamento ou pelo corão e leis ou costumes do pais de origem e estes devem ser levados em conta em caso de divorcio?

    A decisão pode ter sido inedita, não é todos os dias que se invoca esse motivo, mas deixar indignada a classe politica? Só se for por moralismos pois foram eles que fizeram as leis.

    Pois é, só que ao divórcio pode se aplicar a costumes de pessoas de outros paises a residir em frrança a lei francesa diz.

    Casos de nulidade relativa.

    São dois:

    -vício do consentimento
    constituído por equívoco sobre a pessoa ou violência.

    -ausência de autorização das pessoas cuja autorização era necessária.

    O pedido apenas pode emanar de um número restrito de pessoas: o cônjuge cujo consentimento foi viciado ou que estava juridicamente incapaz no momento da celebração do casamento; as pessoas que deveriam ter consentido na união.

    Casos de nulidade absoluta.

    São seis: ausência total de consentimento, impuberdade, bigamia, incesto, incompetência do conservador do registo civil e clandestinidade.

    O pedido pode emanar de qualquer pessoa que tenha interesse em agir,

    Neste caso o homem estava equivocado sobre as condições de garantia do produto. Ja não vinha lacrado de origem, acho que o juiz fez bem livrou a infeliz de uma terrivel existencia.

    ResponderEliminar
  2. Xenófobo, misógino, de mente estreita. O digno senhor do comentário anterior, deve ser um daqueles fulanos que acredita na inefável superioridade da raça branca, contando que se fale no género masculino.
    Não lhe fazia mal um pouco de erudição, estudar outrs mentalidades e culturas e a nossa própria em tempos mais recuados. Mas é claro, que deve ter nascido com a inteligência lacrada, e nada de novo entra naquela cabeça!!
    ;)

    ResponderEliminar
  3. Como eu adoro estes temas só que os interlocutores são fraquinhos e ofensivos, não da para mais, cada um da o que tem.

    A “raça Humana” caro anonimo 2, é uma só, o que existe são etnias diferentes.
    Há apenas uma raça, a humana. O conceito de raça não é genético, mas social. Não existe o gene da raça. A antropologia foi responsável pela introdução do conceito de raça. Este servia para definir uma taxonomia dos grupos humanos, à qual se sobreporia a noção de etnia. Mas apesar de uma raça humana única da Ásia à América da Europa à África nos não somos todos “iguais” temos divisões e classificações sociológicas evidentes, culturas, educação etc. não existindo o conceito genético existe o conceito social, mas só tem esse valor sociologico não tem valor descriminatorio porque para isso existem os direitos humanos que deviam ser uma meta de orientação e que não distinguem raças nem a genética o faz que é o argumento cientifico

    Mas também é verdade que dentro de cada etnia existem inteligências diferentes e em confronto com outras etnias há inteligências diferentes. Não nega as inteligencias diferentes suponho, há etnias que em determinados contextos históricos evoluíram e se destacaram e outras nunca o fizeram, os mesopotâmicos, os egípcios, os maias, incas, aztecas, a civilização helénica e romana, posteriormente a europeia, que se preocuparam em evoluir e transmitir essa evolução que por livros quer tecnicamente, ainda hoje os estudamos. Isto são constataçoes históricas tem a ver com que? Inteligência? Se uma pessoa se quer educar fazer mestrados pesquisas etc. equipamentos que permitam fazer isso, vai para que pontos do globo ou universidades em busca desse saber e dessa tecnologia?

    Nós europeus chegamos a África em barcos de madeira rudimentares mas já navegando em alto mar e guiando-nos pelos astros, (isto indicava e significava evolução cientifica progresso que continuou a ser usada em sistemas de navegação) mais tarde criamos rotas comerciais com barcos já equipados com canhões. Os vikings chegaram a América, não me consta que os africanos sul saarianos alguma vez tenham pesquisado ou tentado sair do seu meio, modifica-lo significativamente, aventurando-se no mar para chegar a Europa ou a outro continente, assim como não me consta que os índios norte americanos ou sul americanos tenham feito qualquer descoberta significativa para o avanço da humanidade. Isto são constatações históricas, é racismo isto é xenofobia? Não é, mas prova que entre grupos étnicos uns evoluíram outros não.

    Assim como, num outro caso em frança, um conservador ao exigir que a noiva islamica levantasse o veu para identificação, foi motivo de reacção terrivel e de ofensa por parte do noivo que não admitia tal coisa nem a familia, a noiva mostrar a cara e um desconhecido que tinha a obrigaçao de verificar a identidade dos noivos, nem pensar. Mas ja vi que para o senhor outras culturas virem ca e dizer que as nossas leis não se aplicam a eles isso não interessa nada, o que o senhor extraiu do meu comentário anterior resume-se nesta quadra de antonio aleixo que atesta bem a vossa estreiteza mental.

    És uma pessoa instruída,
    És um doutor/a; em resumo:
    És um limão, que espremido,
    Não dá caroços nem sumo.

    ResponderEliminar