2008-05-27

porquê morrer?


Mas ele não estava com vontade de ser entretido ou apaziguado. Pelo contrário, o que lhe apetecia era odiar, agora que ia ser levado para casa. Pensei se parte do que manifestava não resultaria de um ódio velado contra mim por o levar para casa. Ou talvez se sentisse furioso por cauda daquela pergunta que não se dera ao trabalho de fazer ao Dr. Benjamin, ao Dr. Meyerson ou a mim, o seu filho escritor, por saber que nenhum de nós, apesar de todos os nossos estudos e cursos, das nossas frases polidas e das nossas palavras inteligentes, lhe encontraríamos mais sentido do que ele. Por que tem um homem de morrer? Era uma pergunta capaz de deixar qualquer um fora de si e furioso. Com os diabos, ele era indispensável, se não já para os outros, pelo menos para si mesmo. Nesse caso, porque teria de morrer? Quem tiver os miolos no seu lugar, que responda a isso!
Philip Roth - Património

1 comentário:

  1. (“Nesse caso, porque teria de morrer? Quem tiver os miolos no seu lugar, que responda a isso!”)

    Não sei se tenho os miolos no lugar mas acho que o ter que morrer será para que possa existir o ciclo da vida.

    É isso mesmo, o ciclo da vida, é assim o ciclo da vida, se não existisse a morte, não haveria nascimentos, e se não existissem nascimentos não iríamos morrer, é portanto o nosso ciclo, É assim desde o começo da vida na terra. Os mais novos ocupam os lugares dos mais velhos, o natural é os mais novos enterrarem os mais velhos e não o contrário.

    Mas, e se as pessoas não morressem ? o mundo seria uma tremenda chatice sem pressão para fazer nada, fica para amanhã, bem pior, muita gente, tudo cheio, muitos velhos que não poderiam mais se reproduzir, e até se não envelhecessemos, chegaria um momento em que estaríamos fartos disto tudo, já teríamos vivido tudo, visto tudo, o que iríamos querer era descanso eterno, que é o que nos espera.

    ResponderEliminar