2008-05-21

é um bispo que diz: as oportunidades para as mulheres conseguirem a igualdade com os homens avançam, mas não são plenas

El obispo de Málaga, monseñor Antonio Dorado, denuncia, en su carta pastoral con motivo del Corpus Christi, “la cruda realidad de la discriminación de la mujer en el mundo de hoy” y en sintonía con la Campaña de Cáritas española para el Día de la Caridad, recuerda que “si los derechos humanos son universales, las oportunidades deberían serlo”. “La Iglesia no puede ni debe emprender por cuenta propia la empresa política de realizar la sociedad más justa posible, tampoco puede ni debe quedarse al margen en la lucha por la justicia”, afirma monseñor Dorado, explicando que a la Iglesia “le interesa sobremanera trabajar por la justicia esforzándose por abrir la inteligencia y la voluntad a las exigencias del bien”.





aqui

3 comentários:

  1. Bem prega frei tomás! Então porque é que a Igreja não começa por ela própria, admitindo as mulheres ao sacerdócio? Não há qualquer óbice do ponto de vista teológico, nem dos evangelhos se podem retirar bases para a discriminação. É machismo puro e duro.

    ResponderEliminar
  2. Ora bem podem se divertir por aqui.

    Certa vez, quando perguntando sobre a possibilidade de ocorrer a ordenação de mulheres, João Paulo II respondeu que isso é impossível, visto que não havia mulheres na última ceia. Muitos não entenderam o que o papa quis dizer, como se as pessoas que estavam presente na última ceia fosse uma coisa sem importância. Mas, isso é de maior importância. A Igreja Católica ensina que foi na última ceia que Cristo instituiu o sacerdócio, portanto, como apenas os doze apóstolos estavam presentes, é porque apenas homens podem ser ordenados. Ou como o Catecismo coloca: “O colégio dos bispos, ao qual os presbíteros estão unidos no sacerdócio, torna presente e atualiza, até o retorno de Cristo, o colégio dos doze. A Igreja se reconhece vinculada por essa escolha do próprio Senhor. Por isso, a ordenação de mulheres não é possível”

    Na Carta Apostólica Ordinatio Sacerdotalis João Paulo II declarou de uma vez por todas que não é possível ordenar mulheres:

    (“Portanto, para que seja excluída qualquer dúvida em assunto da máxima importância, que pertence à própria constituição divina da Igreja, em virtude do meu ministério de confirmar os irmãos (cfr. Lc 22,32), declaro que a Igreja não tem absolutamente a faculdade de conferir a ordenação sacerdotal às mulheres, e que esta sentença deve ser considerada como definitiva por todos os fiéis da Igreja”.)

    http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/apost_letters/documents/hf_jp-ii_apl_22051994_ordinatio-sacerdotalis_po.html

    e eu ate nem sou catolico so aprecio a coerencia

    ResponderEliminar