2008-06-06

católicos e a Bíblia

A Igreja portuguesa não está apenas perante um problema de vocações ou, sequer, de diminuição de praticantes. É que mesmo os católicos com prática activa da fé estão mais distantes das actividades da paróquia e da própria Bíblia.
87,65% com a Bíblia em casa, o universo potencial de leitores da Bíblia é grande, segundo os números oficiais. 13,4%, só a lêem até duas vezes em cada ano - ou não chega mesmo a pegar nela, uma taxa reduzida, 9,3% lêem todos os dias.




Num país de terços e devoções, onde a leitura não faz parte dos hábitos diários dos portugueses, numa Igreja hierárquica piramidal, não admira que um dos signos importantes da vivência da fé, passe à margem da prática dos crentes. Na praxis católica ainda se concebe a Igreja como o sítio onde uns têm que dar e outros que receber.
O consumismo religioso é largamente encorajado, por uma hierarquia que faz da obediência, um dos pontos basilares da vida da fé. Sendo a Bíblia um signo de difícil assimilação, vai ficando como objecto de culto, quando não, apenas decorativo.

Sem comentários:

Enviar um comentário