2008-07-15

o famoso sino de Valpaços


(para quem não sabe é a imagem de um sino *)


Contam os cronistas urbanos, que um sino de Valpaços parou de repicar, em protesto pelo barulho que, vindo de um bar, incomodava o sr. prior. A partir daí, desenvolveu uma forte campanha, onde alegava que além do ruído, no dito estabelecimento, desfilavam mulheres nuas (imagino que a curiosidade o espicaçasse para dar uma espreitadinha. E se ele não podia ver, também não via mais ninguém. Também imagino que, no grupo das beatas frequentadoras da sacristia, a coisa não era vista com bons olhos). Não precisou de fazer muito, porque decorrido um mês, a ASAE já tinha fechado o bar dos prevaricadores. Motivos: tinham apenas uma licença provisória para operar. O JN para nos comover, ainda diz que a empresária que explorava o bar, era uma pobre mulher de vinte e seis anos, com dois filhos menores para sustentar.

Eu pergunto-me: - que tem de importante um bar com mulheres, alegadamente, nuas a desfilar, um padre de aldeia, enfim, um sino?
Até o Daniel Oliveira, gasta umas linhas no Expresso, a falar do assunto (o artigo até está engraçadito).

Vamos lá tentar perceber: mulheres nuas, ainda espicaça um bocadinho (alegadamente, não esqueçamos). Um sino (isso já é estranho). O senhor padre "armado ao pingarelho", é sempre uma tentação.

Estão aqui várias coisas em causa. O padre e demais habitantes têm direito ao sossego (deus me livre e guarde, de um bar desses ao pé da minha porta). A empresária, munida das licenças necessárias, e cumprindo os requisitos de não ultrapassar os níveis de ruído estipulados por lei, tem direito a operar. Mas então, porque é que os cronistas urbanos se deram ao trabalho de escrever sobre o assunto?...Os famosos privilégios da Igreja Católica.

Não sei o que se passa no Portugal profundo. Na minha cidade, o padre manda menos que o jardineiro da câmara. Anda sempre "pianinho", não se vão perder alguns privilégios, que a bem dizer não fazem falta nenhuma. A Igreja Católica ainda detém privilégios em relação ao Estado (impostos etc), mas isso nada tem a ver com o "mandar" no burgo. Isso já "foi".

(* como não existem fotos de mulheres alegadamente nuas, fica o sino. No fundo a culpa é dele.)

5 comentários:

  1. Então, o sino? Já olhaste para o badalo, mulher? Não te surpreendas por o beatério estar ao lado (ou debaixo) do sino.

    ResponderEliminar
  2. (“tem direito a operar”)

    (“Os famosos privilégios da Igreja Católica.”)

    A senhora vê por um lado, eu vejo por outro ( não sou catolico) não sei quem estara mais certo, ou se podemos estar todos.

    Por exemplo tem se proibido abertura de casas de jogos e outros locais de divertimento junto a escolas e locais de ensino. Tem um objectivo concerteza. Nobre, válido e que deve ser respeitado e cumprido porque é o certo e contribui para um nobre formação do caracter das pessoas. Junto das escolas tem havido um reforço policial e fiscalização, tanto ao nível da prevenção criminal, como da fiscalização de estabelecimentos similares dos hoteleiros nas proximidades das escolas (cafés, restaurantes, salas de jogos, etc.)

    Os locais de culto tem uma função que não é propriamente de devassidão moral ou de costumes, são frequentadas não só por adultos mas por crianças, e crianças em formação mental como as da catequese, a religião prega isso, o que a mim me espanta não é existirem esses locais de divertimento que tem todo o direito de existirem para quem deles necessite sendo eu um defensor da lei da oferta e da procura não podia pensar de outro modo, o que a mim me espanta é as autoridades permitirem que essas casas funcionem ao lado de locais de culto e de igrejas, não é isso uma provocação para quem apelando a uma nobreza de costumes e de formação de caracter tenha depois ao lado a funcionar casas desse tipo. Não devia haver um ceto nojo nesssa atribuição de licenças que respeitasse um minimo de distanciamento.

    (“Estão aqui várias coisas em causa. O padre e demais habitantes têm direito ao sossego..... A empresária, munida das licenças necessárias, e cumprindo os requisitos de não ultrapassar os níveis de ruído estipulados por lei, tem direito a operar”)

    E a senhora que se diz catolica vê isto pelo prisma do ssossego do padre, do lucro da empresaria e dos privilegios da igreja.

    Vem eu diria que tem toda a razão, a moral que a igreja prega, pode coexistir com uma casa de alterne ao lado da sacristia, alem de funcionar nestas tenras idades como exemplo de educação sexual, serve de alivio para confessar os pecados aos adultos logo a seguir. Ja agora acho que nas imediações das escolas deviam funcionar também sistemas de angariação para os casinos pois ai estão os futuros clientes, aqueles que muitas vezes mais tarde, devido ao vicio do jogo, levam familias a ruina e a desfazer-se.

    ResponderEliminar
  3. meu caro sr anónimo,

    claramente o sr vem aqui para se punir. Mas olhe que, sapatos altos só em dias de festa, e o chicote também tem uso muito restrito. Mas de vez em quando, tem direito a uma gentileza.

    Acha que a forma de educar é a segregação. Põe-so o mal num gueto e os educandos num condomínio fechado.

    No cristianismo sabemos que o que contamina o homem não é o que vem de fora, mas o que está no coração (na própria pessoa).

    Não se educa capazmente, afastando todos os perigos. Mas ensinando a lidar com eles.

    Compreendo a legislação de certos estabelecimentos, junto de estabelecimentos de ensino. As crianças e adolescentes, estão durante o tempo que estão longe da família e muitas vezes com a força do grupo, mais expostos a serem aliciados para situações impróprias, sobretudo jogos.

    ResponderEliminar
  4. Para me punir????? Ah ah ah ah, já agora, tenha a bondade V. Senhoria , se não é pedir muito, punir de que? Na certeza de que pelo que eu imagino que esteja a pensar, não acerta minimamente em nada do que disser a meu respeito. Também não tem meio de o saber não é?

    O que a mim me dá gozo é ver pessoas catolicas ( que se dizem católicas, ha uma diferença entre se-lo e dize-lo)a fazer a apologia da destruição por completo da moralidade , costumes, tradição e atacando permanentemente a hierarquia catolica. Um ateu não faria melhor trabalho. Capiche.

    (“Acha que a forma de educar é a segregação. Põe-so o mal num gueto e os educandos num condomínio fechado.”)

    Exacatmente, há actividades que devem ser segregadas de outras.quem quer vai a sua procura, saber que essas actividades existem numa determinada idade não é a mesma coisa que sabe-lo noutras, por exemplo a senhora acha que a droga deve estar acessivel porque existe e os dealeres tem direito ao seu negocio e promoção junto as escolas, e as crianças não se lhes deve dificultar nada e ocultar nada porque nessas idades ja tem a sua personalidade formada distinguem o bem do mal sabem o que querem etc etc etc. na moralidade é a mesma coisa, a senhora tem ideia do que apregoa???????

    Espera aí, umas meninas de fatos de banho de fio dental a ler os evangelhos, e uma sessão de streap tease na hora da eucaristia eu garanto que atraia multidões e era de graça era ca uma integração do caraças.

    O que a mim me da gozo, é ver pessoas incomodarem-se profundamente por terem vizinhos que cosntroiem muros ou plantam àrvores nos seus terrenos, e serem logo atacados por mau gosto e ferirem a sensibilidade estética dos vizinhos, mais cultos estéticamente falando, mas ja não se passa o mesmo quando se trata de aparecerem focos de degradação moral ou dos costumes que possam também afectar outras pessoas devido a sua religião ( se for ali ao lado, suponho que seja sempre da porta dos outros a integração é sempre boa)

    ResponderEliminar