2008-08-19

Fernando Lugo - Presidente do Paraguai



Fernando Lugo é o novo Presidente eleito, do Paraguai. Tem a particularidade de anteriormente ter exercido como bispo, da Igreja Católica, do mesmo país.


Foi-lhe concedida por Bento XVI a "redução", (palavra ambígua no caso) ao estado laical. Desde que iniciou a campanha eleitoral estava suspenso "a divinis" do exercício episcopal. É um crente, alinhado com a mensagem da Teologia da Libertação.


No discurso da tomada de posse, mostra-se conhecedor dos desafios e das dificuldades que vai enfrentar como Presidente.

Vai ser interessante ver o que vai fazer internamente e nas relações exteriores, nomeadamente, com Chávez, Castro, Lula. E as relações com os EUA.

Es importante que vuestro Presidente deje en claro un dato: el cambio no es una cuestión electoral; el cambio en Paraguay es una apuesta cultural, quizás la más importante en su historia.
Por lo tanto no se trata de un proceso que tiene vencedores ni vencidos ni propietarios exclusivos. Este cambio es la oportunidad que tenemos unos y otros en nuestra querida nación para asumir la copropiedad del proceso que no requiere otra cosa que intención de producir aportes desde la gestión que ejerciéramos para sostenerlo, lo cual es la propia cancelación de la interminable transición y nuestra incorporación plena al universo de democracias consolidadas del mundo.


(do discurso da tomada de posse)

4 comentários:

  1. Um presidente que vem da teologia da libertação :D
    boa!

    ResponderEliminar
  2. Para já, nomeou uma ministra "indígena", o que não é pouco.

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. "Redução"... é um sinal curioso da relação entre o sacerdócio e os crentes na Igreja Católica.

    Quanto ao resto só o tempo dirá se o seu passado (e presente) religioso são uma vantagem para alguém.

    ResponderEliminar
  4. Acho que o novo Presidente tem bases muito boas para exercer o mandato para que foi eleito. Mas veremos...Ganhou numa posição de oposição ao poder anterior.

    Gnóstico, curioso não é. É um sinal de que a Igreja (neste aspecto) se afastou muito do Evangelho. O que é péssimo para todos.

    ResponderEliminar