2008-08-16

a mulher é vítima de quem e de quê?

O CAA no Blasfémias, conta a história de um homem que foi brutalmente agredido por tentar interferir numa cena da violência doméstica. A mulher vítima de agressão, parece que não corrobora a história da mesma. Um caso limite. Mas as relações homem/mulher têm outros contornos, não tão ao limite, mas não menos interrogantes.

Numa viagem de autocarro tive como companheira de acento uma mulher minha conhecida. Vizinha de rua, mas de quem não sei sequer o nome. Sem termos qualquer intimidade, foi contando a sua vida toda durante o tempo que durou a viagem. A infância difícil, um primeiro casamento, e a relação actual que se resumiu durante anos a habitação conjunta, casos de infidelidade da outra parte, um filho e a posterior partida do companheiro para outro país. Pelo que me contou, continua presa a uma situação em que não está envolvida emocionalmente, nem fisicamente, nem materialmente - ele não contribui para as despesas familiares. No fina,l ainda insinuei - tendo consciência de que a minha opinião era irrelevante para o caso - não é altura de resolver essa questão? E assumir que a sua família é a senhora e o seu filho?

Casos desses há aos montes por aí. O que é que, interiormente e externamente, condiciona as mulheres para agirem deste modo? Também haverá homens a viver situações análogas.
O que eu sei é que, viver situações destas, não é viver. É ficar de braços cruzados à espera que a morte chegue um dia, e imponha um fim, que não se ousa decidir.

Sem comentários:

Enviar um comentário