2008-10-27

ingénuo, saudosista e bárbaro.


César das Neves ainda não se desligou do tempo em que se dizia, e agia, do seguinte modo:"O lugar da mulher é no lar. O trabalho fora de casa masculiniza." (Revista Querida, 1955). Tudo o que vá além desta forma de estruturar a família e a sociedade, é a hecatombe para o economista.

Assim ele vê a aprovação da recente lei do divórcio. Que ele não goste da lei e o manifeste, com todo o direito da sua parte. Não escreva é crónicas apocalípticas, a fazer opinião, como se a razoabilidade e o desenvolvimento estivessem do lado dele, e a barbárie do lado de quem já há muito aprendeu que a responsabilidade só cresce na liberdade. Não é dificultando as leis do divórcio que vamos ter casamentos melhor realizados e famílias mais coesas.

Alinhar divórcio, promiscuidade, aborto, eutanásia, pornografia, prostituição e holocausto judeu como passíveis da mesma gravidade moral e ética, é uma barbaridade só possível na cabeça de César das Neves.


6 comentários:

  1. Este neves existe?? Parece que saiu de um livro de história...

    ResponderEliminar
  2. O Yeti saltita entre a catequese do Sábado, a missa do João Seabra no Domingo de manhã, uma ida ao bosque para arriar o calhau no Domingo à tarde e a diarreia mental em forma de homilia carvernícula no DN da Segunda. Nos restantes dias dá aulas de contabilidade na Católica, nas quais apenas há Deus do lado do "deve" e "Eu" do lado do haver.

    ResponderEliminar
  3. existe, existe! e escreve tolices sem destino.

    ResponderEliminar
  4. lino, não duvido que o homem beba na fonte do João Seabra. aquelas tolices canónicas não caem do céu.

    è um economista como bem descreves :)

    ResponderEliminar