2008-11-04

a vida

Desde que Jesus disse acerca de si: eu sou a vida (Jo 14,6,11,27), nenhum pensamento cristão ou até filosófico, pode ignorar tal reivindicação e a realidade nela contida. Esta afirmação feita por Jesus acerca de si mesmo declara como vã e já fracassada toda a tentativa de expressar a essência da vida em si. Enquanto vivemos e não conhecemos os limites da nossa vida,a morte, como poderemos dizer o que é a vida em si? Podemos unicamente viver a vida, não defini-la. A palavra de Jesus liga todo o pensamento sobre a vida à sua pessoa. Eu sou a vida. Nenhuma questão sobre a vida pode ir mais além deste "eu sou". A questão sobre o que é a vida torna-se aqui a resposta de quem é a vida. A vida não é uma essência, um conceito, antes uma pessoa e precisamente uma pessoa determinada e única, e é esta pessoa determinada e única não no que ela entre outras coisas também tem, mas no seu eu, no eu de Jesus. A todas as ideias, conceitos, caminhos, que pretendem dizer o que é a essência da vida, Jesus contrapõe drasticamente este eu. Ele não diz: eu tenho, mas eu sou a vida. Por isso, a vida já não é separável do eu, da pessoa de Jesus. Ao anunciar isto, Jesus não diz ser só a vida - isto é, uma entidade metafísica que porventura não me diz respeito - mas justamente a minha vida, a nossa vida. A minha vida está fora de mim, não está à minha disposição; a minha vida é de outrém, um estranho, Jesus Cristo, e tal no sentido trasladado de que a minha vida não seria digna de ser vivida sem este outro, portanto, no sentido de que Cristo lhe conferiria uma qualidade particular, um valor particular, com a consequência de que a vida teria sempre uma subsistência própria, mas que a própria vida é Jesus Cristo. Aquilo que assim vale acerca da minha vida vale a propósito de tudo o que é criado:"Tudo o que foi feito - nele era a vida" (Jo 1,4)

Dietrich Bonhoeffer - Ética

2 comentários:

  1. Rendo-me à evidência, como uma ponte, o olhar é mais firme quando o amor o sustenta

    ResponderEliminar
  2. e eu rendo-me a tão poética e verdadeira conclusão.

    ResponderEliminar