2009-01-06

???

Quem tem mais direito de existir? Árabe? Judeu? Rico, pobre? Quem tem mais direito de opinar sobre isso? Redford corre da mentira, Gould fotografa seus excrementos, Finch berra a respeito dela e Jagger canta “eu existo através do OUTRO”. Nós existimos através do outro! E somente através do outro.

Quem tem o direito de não existir? Você? Eu? Um? Dois? Será somente uma questão psicótica? Neurológica? Imaginária? Numérica? Somos muito pequenos? Valemos quanto? Quanto dinheiro? Quantas gramas ou quilos? Ou seremos pequenamente, lentamente, assassinados?

Gerald Thomas

Eu também só sei fazer perguntas. Mantenho-me na inconstância da adolescência? ou ainda pior: regredi à idade dos porquês? Para alguém que se assume como crente e praticante de uma religião, as coisas deveriam ser mais simples: o mundo divide-se entre puros e impuros. Boa, mais uma divisão. E eu, de que lado estou? Aderi a Cristo estou salva. Estou? E os outros?

Adenda:

se tiverem a bondade de ler este post do Nuno verão bem empregue o tempo.

6 comentários:

  1. e a palavra, roída, em febre tem fraturas. o osso exposto. feito veneno

    ResponderEliminar
  2. Bem não tem muita relação com o post mas... isto está realmente diferente. Passei uns tempos sem vir cá e o look do sitio mudou do dia para a noite :)

    ResponderEliminar
  3. mario,

    veneno, veneno é no coivara. do qual não deixo de me inebriar. :)

    ResponderEliminar
  4. Olá, Pedro :)

    está mais verde o jardim. gosto de estar, assim, rodeada de verde. espero que não tenhas nada contra.

    ResponderEliminar
  5. Nada a apontar, antes pelo contrário :)

    ResponderEliminar
  6. :)

    mas fica sabendo que o meu coração é vermelho luz.

    ResponderEliminar