2009-01-27

das lutas fratricidas

Sobre este meu post, o meu mano João, esceveu:

Quando o problema sempre foi outro, o de descobrir que seja o que for que se escolha, há sempre outros. Como nós, por serem outros. Mas, com o tempo, a religião, como a cor da pele, o traje, a língua ou o gosto sexual, tende a perder a identidade guerreira da tribo para ser uma banalidade de escolha e gosto quando não é fruto da condição ou do mero acaso. E as crispações actuais - duras e pagas com muito sangue - são as despedidas dos domínios perdidos. O prazer pela diferença há-de compensar as dores de parto. Porque o conforto adquirido com a segurança da unicidade está frito.


Os crentes crêem em Deus. Os ateus negam-no. Nem uns podem demonstrar que existe, nem os outros que não existe. Estão condenados a viver em paz porque ninguém pode validar a sua preposição.
Não se definem uns aos outros. O que os define é aquilo que não podem provar. E agora?

5 comentários:

  1. também...

    mas não só. os problemas que vivemos (religiosos, económicos, políticos, etc) não foram provocados pelos ateus...

    abraço MC

    ResponderEliminar
  2. "Os crentes crêem em Deus.
    Os ateus negam-no."

    MC,
    dito dessa forma até parece que os ateus se limitaram a escolher outra forma da adorar o seu senhor...

    Os ateus gostariam essencialmente que ninguém lhes andasse a dizer o que devem fazer e aquilo que não podem fazer em nome de entes cuja existência lhes parece no mínimo altamente duvidosa.

    Uma vez por outra chateiam-se e passam um cheque para uma campanha publicitária ou coisa que o valha.

    Fora isso só escrevem posts sobre religião porque quanto menos se sabe sobre um assunto mais comentários tem o post. Se há algum assunto sobre o qual não se sabe mesmo nada é sobre os temas de um bela trilogia do senhor Dante Alighieri.

    ResponderEliminar
  3. Luís,

    não assinava por baixo o que escreves. As religiões têm muito poder. Já fizeram muito mal, mas não têm o exclusivo.

    ResponderEliminar
  4. ON,

    há crentes e crentes. há ateus e ateus. se quero saber algumas novidades da minha igreja, posso ir sabê-las a blogues de ateus. têm sempre muita informação.

    o nosso empenho maior não devia ser andar com discursos sobre o que se deve ou não fazer. era melhor fazer. mas o conhecer também é preciso. os crentes assumem que têm algo a dar a conhecer e fazem-no.

    a nossa discussão decorre nos blogues, mas de modo nenhum se restringe a eles.

    ResponderEliminar
  5. Cara MC, nao tem de fazer fretes aos Emes deste mundo, nao sabemos se os causadores de problemas políticos e económicos se devem a religiosos e se a religiao foi a causa para esse colapso, certamente ainda vamos ver os Emes deste mundo a culpar as religioes da I e da II guerra, do crash de 29e do gulag (muito religioso) soviético em vez do materialismo..

    ResponderEliminar