2009-05-25

isto não é normal


João César das Neves escreve outra vez sobre sexo. Mas deixando-se dominar pelo seu lado de virgem dolorosa. A parte feminina, (que qualquer homem tem) nele, morre de medo de ser desflorada.

6 comentários:

  1. o verdadeiro must é este comentário que alguém lá deixou:

    "Parabéns pelo esforço de ser o guardião da moral e dos bons costumes. Portugal e o Mundo bem precisam..."

    Deve ser ele que escreve para se convencer a si próprio. Num outro artigo sobre o mesmo tema (para variar)no Destak aparecia o mesmo comentário.

    ResponderEliminar
  2. ele mistura economia e política com sexo e como é óbvio não podia sair grande coisa...

    ele devia gostar mais do tempo dos "papões", da culpabilização por coisas naturais e da educação em que se ensinava a ter "vergonha do corpo"...

    abraço MC

    ResponderEliminar
  3. Só agora é que fui ler a homilia, mas faria muito mais sentido na Irlanda, onde deve ter muitos amigos.
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. O César das Neves é um caso para o santo protector das causas perdidas.

    O que me inquieta é a Igreja católica (mas não só) patrocinar este tipo de alienação.


    beijos e abraços, moços :)

    ResponderEliminar
  5. Eu tenho imensa dificuldade em perceber o João César das Neves.
    Por outro lado, há muita gente que tem imensa dificuldade em perceber-me a mim (a começar pelo meu marido e, olha, tem graça, até eu própria... ;-) )

    E já ouvi uma senhora que muito estimo dizer que gosta do João César das Neves porque ele se assume sem complexos nem medos. Aquele comentário bem poderia ter sido escrito por ela.

    Por outro lado - e não ponho de parte que ande a ler os jornais errados - nunca vi este tipo de discussão em jornais alemães. Tenho a sensação que os portugueses são muitíssimo mais fundamentalistas. Para ambos os lados, diga-se de passagem.

    O país é tão pequeno que não dá espaço para todos? É mesmo preciso andarmos feitos missionários uns dos outros?

    (Escusado será dizer que, para mim, esta crónica atinge o estádio perfeito do delírio)

    ResponderEliminar
  6. Olá, Helena.


    Eu não tenho dificuldade em perceber o César da Neves. (Nas posições que habitualmente toma. Do restante não sei nada) :)).

    Acho graça à graça :) que as pessoas encontram nas posições politicamente incorrectas. Anda a fazer moda. Como se, só por se ir contra o sentir comum, fosse válido por si.
    Se calhar, foi assim que começaram alguns desastres da humanidade. Havia uma apatia geral, apareceu um "iluminado", e daí ao desastre, foi um "pequeno" passo.

    E o César da Neves sabe muito bem disso. Ele é alienado mas é para o que lhe convém. Porque alienações todos convivemos com elas. Protegem-nos das mudanças que teríamos que fazer e não queremos.

    Este debate interessa-me em vários sentidos. Como cidadã e como católica.

    Não é inocente este apego do César da Neves (e outros que partilham a mesma corrente ideológica) às questões da moral sexual. Há uma palavrinha mágica que enquadra o que quero referir - Poder. E poder patriarcal.
    Uns sabem muito bem porque lutam (César das Neves é um deles)outros, como a tua amiga, deixam-se conduzir. Porque a maioria das vezes é mais cómodo.

    Isto pode soar-te a delírio...adianto que o poder não é mal nenhum. Eu também quero poder. Sobre mim propria, sobretudo.

    Também é interessante analisar-mos a questão à luz do Evangelho. Fica para a próxima. :)

    ResponderEliminar