2009-05-30

sou violadora. Ah! mas podia ser pior...

Como católica sinto-me muito incomodada, com a forma como a Igreja tem reagido aos vários escândalos sexuais que se têm vindo a conhecer. Umas vezes, com um silêncio chocante. Outras, com declarações infelizes (no mínimo).

O cardeal Cañizares, Perfeito da Congregação para o Culto Divino, foi quem, ultimamamente, protagonizou mais um desses acontecimentos. Relativiza as violações e violências de menores, comparando-as com o aborto.


Com ironia e sabedoria, que parece faltar a quem tanto alarde faz dela, o Rui A., deixa este recado:


Dado o excesso e a frequência de declarações deste teor, sempre muito veiculadas pela comunicação social, não seria pior que o Papa, sem dúvida um homem sensato cuja teologia não deve compreender nem aceitar esta relativização do pecado, mandasse calar esta gente. Ou, em alternativa, mandar publicar um índex dos pecados, hierarquizando-os do menor ao maior, do menos para o mais grave, de modo a que sempre que estejamos à beira de cometer um, possamos procurar um outro que nos alivie mais a alma.

4 comentários:

  1. sempre houve um grande "corporativismo" na igreja, não são só os médicos e juizes...

    abraço MC

    ResponderEliminar
  2. Eu até poderia concordar com uma hierarquização dos pecados, desde que todos os padres fossem capados no momento da ordenação. E já agora, podiam também cortar "língua e dedos"

    ResponderEliminar
  3. luís,

    não sei se o factor principal é o corporativismo. Há a ânsia de abafar o escândalo, o que é normal. Mas não é só isso.

    abraço, luís

    ResponderEliminar
  4. a hierarquização de pecados existe: roubar um sabonete, não é o mesmo que "limpar" um banco...mas relativizar o mal para não assumir a culpa...nem parece coisa de cardeal. ;)

    ResponderEliminar