2009-08-15

não é, apenas, o amor, é a vida que é fodida

Passeava, com familiares, no parque da cidade. No meio de uns arbustos estava deitado um homem a dormir ou inanimado. Olhámos, instintivamente, em volta, todos passavam indiferentes à cena. Interpelei um homem que passava, depois outro que era preciso fazer alguma coisa. - Deixe-o estar. Isso logo passa. - E se não passa? o chão está encharcado e não deve ser preciso muito mais para uma pneumonia. A resposta é um indiferente encolher de ombros. Demandámos à procura dos serviços responsáveis para tratar da situação.

Tinha acabado de dar um pulinho à Bertrand e comprado o Diário Remendado do Luiz Pacheco. Um bêbedo letrado ou iletrado perde o estatuto de homem? Parece que sim.

Sem comentários:

Enviar um comentário