2009-10-19

"A casa do Zé"



Desconte-se a ingenuidade da intervenção e capte-se a mensagem. Nas ruas das Caldas vive o Zé. Como não desperta medo nem inveja, recebe a indiferença de quem passa. Os comentários dos vendedores da praça, que convivem com a realidade dele todos os dias, mostram a inabilidade de lidar com as doenças mentais. Ao longo dos anos, ignoram-no, no dia em que os estudantes o expuseram, mostram uma desrespeitosa condescendência.

4 comentários:

  1. «...mostram uma desrespeitosa condescendência.»

    É verdade. Mas também mostram que o aceitam.
    O video é lindo.
    Parabéns a quem o fez, a quem teve a iniciativa e à MC que o pôs aqui.

    ResponderEliminar
  2. não o sabia tão velho (não me cruzo com ele há talvez uns vinte anos)...

    lembro-me de andar na catequese e ele ficar na parte de trás da igreja...

    tinha acompanhado este trabalho artístico e social, mas apenas em fotografias.

    em relação às pessoas da praça, o "zé povinho" é mesmo assim, também gosta de espectáculo...

    abraço MC

    ResponderEliminar
  3. tacci,


    a verdade é que toda a cidade (as pessoas que nela vivem) se mostram indiderentes. O Zé não chateia ninguém.

    Quem fez o video foram estudantes da ESAD (Escola Superior de Arte e Design). Penso que para um trabalho de curso.

    abraço

    ResponderEliminar
  4. pois, tolerantes na aparência. Mas o vídeo está muito bom. Caracteriza bem o que somos (ou não somos) como sociedade solidária.


    beijos, luís

    ResponderEliminar