2009-11-29

já não há cruzadas, mas quase

A Europa esclarecida é assim!

9 comentários:

  1. Faz falta um referendo sobre os campanários.
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. mas os campanarios não fazem parte da nossa cultura?

    ResponderEliminar
  3. é assim a nossa "evolução, MC...

    gostava que visitasses o meu "casario", porque sim...)

    bjs

    ResponderEliminar
  4. MC,
    mas qual é o problema da proibição dos minaretes?

    ResponderEliminar
  5. Tal como seria um absurdo um referendo sobre a edificação de campanários o mesmo acontece em relação aos minaretes.

    E num tempo em que se procura um caminho comum de paz e aceitação mútuas aconteceimentos como estes não ajudam em nada.

    Li há dias (não me lembro onde) alguém que dizia: "as religiões são capazes de rezar umas pelas outras, citar-se umas às outras, mas não são capazes de se sentar juntas".

    ResponderEliminar
  6. Ah pois, absurdo concerteza, mas a questão é outra, mas essa ha quem não queira ver, é uma questão de reciprocidade, que tem a ver com reciprocidade religiosa, que não existe nos paises muçulmanos. Existe perseguição aos católicos nesses paises, quem levanta a voz nesses casos? Na arábia saudita não se pode pregar cristianismo. No egipto os coptas sofrem razias anti-cristãs e são cidadãos de segunda, não existe reciprocidade religiosa no mundo islâmico . Será que os muçulmanos que vivem no ocidente são muito diferentes?. O problema é que o islaõ é mais que uma religião, é uma ideologia também social e politica. Por isso não se pode invocar a liberdade religiosa, se fosse só isso tudo bem, mas isso só acontecerá quando a religião a sociedade e o estado for para eles o que a religião católica é para nós. Dai certa esquerda simpatizar tanto e ser tão condescendente com eles. Eles tem que deixar praticar lá aos que la estão e são diferentes, o mesmo que eles querem praticar aqui também e que querem que nos toleremos, vamos nos la construir campanarios a ver o que resulta dai.

    e ja agora essa e do saramago

    ResponderEliminar
  7. porque acho condenável que não sejam permitidos símbolos religiosos cristãos, judaicos etc, em varios países islâmicos, não concordo que um país não permita que, livremente, as comunidades islâmicas ergam os seus símbolos de culto.

    Permitem as mesquitas, não permitem é os minaretes. Acho que é atentatório da livre expressão religiosa de uma comunidade.

    ResponderEliminar
  8. ("Acho que é atentatório da livre expressão religiosa de uma comunidade")

    livre expressão religiosa no islamismo? o sonho continua e / ou a ignorância também.

    Ou não, nós sim, devemos permitir tudo e tolerar tudo como "civilizados avançados" eles não tem essa obrigação em relação aos outros. O tratamento tem que ser reciproco e o mundo ocidental cristão devia impor uma espécie de moratória à “liberdade religiosa” do Islão, Esta liberdade devia ser mantida até ser claro que o Islão integrou o princípio da reciprocidade religiosa e que o implementou na prática, No mundo islâmico, ha padres que são assassinados, igrejas são incendiadas, o serviço litúrgico é proibido, a construção de igrejas também, sem que a imprensa internacional tome notícia do assunto,, nem os muçulmanos que na europa constroem uma mesquita atrás da outra se interessam, com o que acontece com os cristãos nos seus países. O argumento da reciprocidade não conta. No Egipto os cristãos coptas podem exercer a sua religião mas são tidos como cristãos de segunda classe sem acesso a posições de relevo, vendo-se confrontados com assaltos a igrejas e casas privadas. Já desde os anos 90, altas personalidades do mundo árabe seguem a estratégia de islamizar estados seculares empregando para o efeito grandes somas de dinheiro. Conseguiram fazê-lo dentro de poucos anos, como é o caso da Nigéria, conseguindo até que aí fosse introduzida a lei islâmica da sharia, assistindo-se cada vez mais a um aumento de assassínios de cristãos. A Igreja não pode levantar a voz porque se o fizesse os cristãos ainda mais sofreriam. Quando o papa falou qualquer coisa do islão citando nao sendo palavras suas, o mundo islamico ferveu, Enquanto os chefes dos países europeus não se interessarem, de facto, pela defesa dos direitos humanos, os estados, e em especial os estados islâmicos continuarão a perseguir os cristãos e outros que se atrevam a ser diferentes. O Islão não tolera ninguém ao seu lado, pelo menos, desde que se encontre na maioria. Isto é o que se pode constatar também na desenvolvida Turquia que, dentro dum século, vê a população cristã reduzida de 25% da população para um número insignificante e com tendência a diminuir, Ja não falando noutro problema que é o uso das mesquitas como instrumentos de politização e fora do alcance das autoridades, mas isso é outra questão. Quando eu, e todos nos pudermos criticar, escrever, desenhar etc. o que quer que seja, sem medo de uma sentença de morte como aconteceu com o salman rushdie, então sim, pode se falar em liberdade religiosa de expressão e tolerancia.

    ResponderEliminar