2009-11-17

pois precisamos, mas o mal são sempre os outros

Inércia, passividade, respeito temeroso pela hierarquia, individualismo das famílias e das pessoas, a ausência da dimensão do futuro no viver quotidiano: eis alguns aspectos da subjectividade actual dos portugueses. Para ela contribui fortemente o sistema das invejas.
Todos estes aspectos são graves, indiciando uma não coesão do tecido social. Ora, precisamos, hoje mais do que nunca, de solidariedade, coesão, laços de respeito mútuo e vontade comum à volta do reconhecimento de uma situação "à beira do abismo" que nos ameaça a todos. Não consenso e unanimismo passivos, mas uma vaga que nos levaria a avançar e a abrir o espírito à evidência da urgência da acção comum. Precisamos de transformar o Estado e a sociedade civil, precisamos de uma colectividade coesa e consistente.

José Gil in "Portugal Hoje- O medo de existir"

3 comentários:

  1. A maioria do texto são baboseiras e a última frase diz o óbvio. Ainda bem que não comprei o livro.
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. por amor de deus, lino!!!!


    Enfim, pronto, ando a perder o meu tempo a ler baboseiras. Não, não é a minha opinião. Se quiseres empresto-te. :)

    beijos

    ResponderEliminar
  3. Eu referia-me, apenas, à parte que citaste e não ao livro todo, que não conheço. Nem quero, porque já tenho de me torcer todo com as croniquetas que assina na Visão.
    Beijos

    ResponderEliminar