2010-06-05

crer num Deus pessoal

(...)a pergunta radical é: um Deus não invocável pelo homem salvaria alguém enquanto pessoa? O núcleo da questão é a pessoa.

5 comentários:

  1. O seu post fez-me lembrar um poema muito bonito do Rainer Maria Rilke em que ele diz qualquer coisa como "O que vai ser de Ti, Deus, quando eu morrer?", e que exprime essa ideia de Deus pessoal. Vou ver se o encontro para a Maria

    ResponderEliminar
  2. What will you do, God, when I die?

    What will you do, God, when I die?
    I am your vessel
    I, your drink
    I, your garment
    I, your craft
    Without me, what will you do?
    What reason have you?

    Without me, you'll have no home
    where innocent words await you.
    I, velvet slipper that falls from your foot
    the cloak dropping from your shoulder.

    Your gaze, which I welcome now
    as it warms my cheek
    will search for me, hour after hour
    and lie at sunset, spent
    on an empty beach
    among unfamiliar stones
    what will you do?
    I am afraid.
    .
    Rainer Maria Rilke

    ResponderEliminar
  3. Obrigada, Joana

    já conhecia, mas agradeço a lembrança.

    ResponderEliminar
  4. Olá JdL!...
    Gostava de escrever qualquer coisa maior... Mas com o calor... Quase nem tenho paciência...

    "O último esforço da razão,é reconhecer que existe uma infinidade de coisas que a ultrapassam."- Pascal

    Pode ser um bom começo... E o reconhecimento de que não somos seres para lá da natureza, mas animais com algumas capacidades superiores aos outros também...

    Claro que um Deus em forma de Super-Deus não é solução. O próprio Jesus não quis ser um super-Deus. Morreu na Cruz e sofreu como qualquer outro homem pode sofrer antes de ressuscitar!... A questão da Pessoa torna-se pois fundamental e dá-nos muito que conversar!...

    Boa noite!...

    ResponderEliminar
  5. dá, pois!

    Agora que já arrefeceu, podes conversar mais um pouco a propósito. Tens muito aí para dizer e eu para escutar. :)

    beijos

    ResponderEliminar