2010-06-15

o mais íntimo de mim mesmo - descobrir

"Os teus pecados estão perdoados"

O maior obstáculo para uma experiência Mística

é crer que as minhas falhas me afastam de Deus

Este sentimento é fruto de um desconhecimento do homem e de Deus.


Se não somos capazes de aceitar-nos tal como somos

A nossa relação com Deus estará falseada.

E não pode levar-nos a bom porto.

Descobrir que Deus nos aceita como somos,
é um grande passo para que nos aceitemos também a nós mesmos.


Se consigo ir mais além das minhas falhas,
descobrirei meu ser luminoso e limpo.
Descobrirei que essa parte do meu ser não depende de mim mas de Deus.

É portanto, amoroso, digno de ser amado, por Deus e por mim.



retirado daqui
Todo o texto é importante para reflexão.

7 comentários:

  1. Ignorar-se a si próprio e ignorar a Deus será a mesma coisa?
    Julgo que Platão diria que sim, mas Cristo?

    ResponderEliminar
  2. cheira-me a cilada.... :)

    Eu digo que sim...e Cristo disse que sim. E tu?

    Cristo disse: "Eu e o Pai somos um só"

    Não se confundem, atenção. São distintos.

    ResponderEliminar
  3. Olá JdL!... Parece que o Google não anda muito bom... O post era outro mas não entrou... Paciência... Também não pude cá estar estes dias todos...

    Vou ser breve... Se vires isto poderás ter uma ideia do meu estado de espírito neste momento...

    http://www.publico.pt/Sociedade/padre-joao-resina-o-engenheiro-de-deus_1441451

    Durante 10 anos fui à missa dominical do Pe JR e tudo o que o artigo diz é pouco sobre ele...
    E quem disse que este tipo de Missas "progressistas" não eram populares por serem pouco exigentes? Pois as dele tinham sempre cerca de 1000 pessoas cada 1 e não eram velhinhas amestradas mas jovens adultos nunca ultrapassando a média de idades os 40!!!...

    Já agora, viste o Show do Arcebispo Tutu (infelizmente da Comunhão Anglicana...) e a forma como conseguiu criar ali uma comunidade viva em 5 minutos?... E com a humildade de um simples adepto de futebol!!!...

    Boa noite!!!...

    ResponderEliminar
  4. ...E já me esquecia... Sim, é verdade... Infelizmente vivemos tão mergulhado naquela imagem do Deus castigador dos medos e dos Infernos que a nossa Vida é que fica num Inferno de tantos Infernos em que a querem meter!...

    Como nos dizia o Pe. JR: "Se querem saber porque é que esta casula é verde, perguntem à ciêcia... E ela vos responderá!... Mas se querem saber porque é que eu quero vestir esta casula verde, perguntem à Teologia... Porque para tudo Deus tem sempre uma resposta que só ele através do seu conhecimento pode proporcionar!..."

    E o mesmo vale para todas as outras dimensões do humano!... Mas enfim... Os hierarcas não querem e por isso metem-nos tantos medos que às tantas quem me parece mais cheio de medos... São eles!!!...

    Boa noite!!!...

    ResponderEliminar
  5. Boa noite, P.P.

    o post era outro? só venho ao jardim numa escapadela, e está a escapar-me algo. Ou ainda é o compudor marado? É que ainda não tive tempo nem paciência para ligar o outro.

    Sobre o padre João Resina (que não conheci pessoalmente) passo-te o recado que alguém me disse aquando da morte dele e da minha afirmação "a Igreja fica mais pobre" - "não fica é mais rica porque teve o padre João Resina". É o facto!

    Não vi nada, a minha vida, por estes dias, é mais ou menos o post de hoje. Até o meu jardim se ressente. Só ervas daninhas e caracóis por todo o lado. :)

    E do futebol estou a milhas...felizmente.

    E dos hierarcas...ui, nem se fala. (Que Deus me perdoe!) ;)

    beijinhos para ti, boa noite.

    ResponderEliminar
  6. MC:
    :-)
    Não há cilada nenhuma, juro!
    Fui ler o texto e encontrei, entre outras esta passagem:

    "El pecado siempre es fruto de una falta de conocimiento. Si yo estoy convencido de que algo es malo para mí, nunca podría la voluntad apetecerlo. Cuando la voluntad quiere algo, es porque la razón se lo presenta como bueno. Por eso la superación del fallo no se consigue por voluntarismo, sino por un conocimiento más profundo."

    Este conhecimento mais profundo, segundo o autor do texto, começa pela tomada de consciência do amor de Deus. É nisto que consiste o verdadeiro perdão, não é? É o perdão de quem vai direito à fonte em vez de comprar ao aguadeiro.
    O mal, portanto, só pode ser ignorância dessa relação amorosa com Deus, ou seja, pura privação.

    O Demónio e os seus representantes na terra, o Pinochet entre tantos outros, não passam de pobres ignorantes.
    Confesso que é uma concepção de que não posso discordar, mas que me incomoda.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Olá, tacci

    pensei que viesse aí mais uma investida ateia...o que eu só tinha q encaixar. E o texto e as ideias para que aponta, levanta questões (mas, aqui que ninguém nos ouve, não sou eu que vou fazê-lo)

    Sim, este autor defende (não só ele)que sempre que escolhemos o mal é porque ele se nos apresenta como um bem. Vários processos, q não vou referir, concorrem para isso.

    "Este conhecimento mais profundo, segundo o autor do texto, começa pela tomada de consciência do amor de Deus. É nisto que consiste o verdadeiro perdão, não é?"

    Pois é! E isso é um enorme abismo, onde temos de nos jogar despidos de toda a tralha com que sumptuosamente nos ataviámos, porque andámos a construir sobre areia.

    Incomoda, pois incomoda, talvez seja importante descobrir porquê.

    Abraço

    ResponderEliminar