2010-06-06

porque é Domingo

A LUZ NOS GUIE DO TEU ROSTO. APENAS
ela nos seja, mesmo à noite, dia.
E a abundância de dias enriqueça
esta velhice desprendida,
de forma a os frutos lúcidos da terra
dispensarem maior sabedoria.
E reunirem. Serem porta aberta
que a chegada dos outros endominga.
Como o domingo se endominga à mesa
com os frutos polícromos do dia.
E sobre todos esses frutos se erga
o teu rosto de luz, mesmo que o enigma
da sua claridade ainda só seja
a que há-de vir. E já desponta. E vinga
como o esplendor, depois da noite hesterna,
que recupera terra mais antiga.


FERNANDO ECHEVARRÍA
(de Lugar de Estudo, edições Afrontamento, 2009)

retirado da rua do poeta que distribui poesia

3 comentários:

  1. Distribuída na rua e redistribuída no jardim.
    :)

    ResponderEliminar
  2. é da boa, é, lino.

    A que o Rui distribui e escreve. Precisamos de mergulhar para entrar nela, e voltar uma, outra e muitas vezes. Como tudo aquilo que vale a pena.

    Beijos

    ResponderEliminar