2010-07-07

e uma solidão habitada

Telefonou-me como sempre faz nos aniversários. E fez o inquérito cerrado e pormenorizado para saber como estamos todos. Tranquilizei-a. Mas sei muito bem que nas longas orações diárias somos todos presentes. E todos os outros que ao longo dos anos fizeram parte da sua vida. Sem quase sair de casa, faz-nos a todos participar da sua vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário