2011-01-26

o alívio da Fé

a m. escreveu isto no azul cobalto: Em dias como hoje, em que duas pessoas que fazem parte da minha vida passam por momentos de séria atribulação devida, em ambos os casos, à prepotência e má-fé de terceiros a quem um direito cego e iníquo confere o poder de lhes jogar as vidas como se fossem dados, gostaria de ter ao meu alcance o alívio da Fé.

Desinquieto-me sempre com o "alívio da Fé". Do Evangelho, vem-nos o reparo "se tivésseis fé do tamanho de um grão de mostarda" (Lc 17,6) e Paulo também nos diz que a (fé) transportamos em vasos de barro (2 Cor 4,7)...o que me sobra é que remamos todos no mesmo barco...e a tormenta toca a todos, não sendo a Fé o tal escudo invisível que nos resguarda de sentimentos de tristeza, frustração e desânimo. Nessas horas, que seja presente um abraço de quem estiver mais disponível e atento. A fé será  o  impulso que nos fará dizer, gritando ou a sussurrar: sozinho não sou capaz preciso de ajuda.

Um abraço à m.

2 comentários:

  1. Obrigada, Maria.

    Sendo agnóstica «à la carte» tenho as minhas crises. Passei a noite de 25 com um rosário nas mãos. Foi-me oferecido, já há alguns anos, por uma das pessoas referidas no post que o terá ido buscar a Fátima expressamente pª mo oferecer apesar de conhecer bem o meu relativo cepticismo. No dia seguinte fotografei-o e coloquei a foto no blog pª poder lembrar-me disso mesmo: a fé pode ser, pª quem não é crente «formal», estar «ao lado de» incondicionalmente.

    Um abraço pª si, fez-me bem em tempos de angústia.

    ResponderEliminar
  2. caríssima m.

    a minha grande surpresa por saber que passou por aqui. Deixei o abraço, creio que, no mesmo sentimento que a levou a passar uma noite tendo nas mãos um objecto de elevado valor simbólico (um gesto de amor nunca é inconsequente).

    Retiremos o "formal" (do qual sei cada vez menos) da fé e fiquemos com o essencial que singularmente aqui exprimiu:"a fé poder ser (eu creio que é)estar «ao lado de» incondicionalmente".

    No mesmo abraço, que o alívio para si e para quem lhe é próximo, não demore.

    ResponderEliminar