2011-02-13

na aparente simplicidade de escolha, esconde-se a incerteza que liberta


11*Não digas: «Foi o Senhor que me fez pecar»,
porque Ele não faz aquilo que detesta.
12Não digas: «Foi Ele quem me seduziu»,
porque Ele não necessita dos pecadores.
13O Senhor aborrece toda a abominação,
e os que o temem não se entregam a tais coisas.
14Desde o princípio, Ele criou o homem,
e entregou-o ao seu próprio juízo.
15Se quiseres, observarás os mandamentos;
ser-lhes fiel será questão da tua boa vontade.
16Ele pôs diante de ti o fogo e a água;
estende a mão para o que quiseres.


Ben Sira, 15 (11-16)

2 comentários:

  1. ...Boas!...

    Já há algum tempo que não venho apanhar ar fresco...

    ...Mas realmente e nem de propósito paraste numa passagem bíblica que me faz lembrar um livro fantástico que estou agora a ler: "Os segredos do Pai Nosso" de Augusto Cury. É que a maravilha de Deus não deriva de Ele ser um omnipotente, omnisciente e omnipresente Ser Criador que tudo leva no seu poder... Pelo contrário, a maravilha de Deus deriva do facto de Ele ser ao mesmo tempo o único ser plenamente calmo, sereno e bom... Sofredor na Sua imensa solidão, mas que consegue apesar de tudo a maravilha dessa superação!... Expressa onde? Na reacção de Jesus à traição de Judas e na Oração do Pai Nosso!!!... E quem foi que descobriu isso? Um teólogo? Nem pensar!... Um simples e humilde Cientista do nosso tempo... Que otrora foi um dos piores ateus do mundo segundo o que o próprio confessa!...

    Boa noite!...

    ResponderEliminar
  2. :)

    ar fresco não falta por aqui (no cimo do monte)...bom, P.P. grande autor que te põe assim a falar de Deus.
    Interiormente, sou ,cada vez mais, incapaz de adjectivar Deus. Mas isso é uma longa história...;)

    Boas noites!!!

    ResponderEliminar