2011-02-07

responde o poema

que a mim acabam-se-me as palavras


De que serve a bondade?

1

De que serve a bondade
Quando os bondosos são logo abatidos, ou são abatidos
Aqueles para quem foram bondosos?

De que serve a liberdade
Quando os livres têm que viver entre os não-livres?

De que serve a razão
Quando só a sem-razão arranja a comida de que cada um precisa?

2

Em vez de serdes só bondosos, esforçai-vos
Por criar uma situação que torne possível a bondade, e melhor;
A faça supérflua!

Em vez de serdes só livres, esforçai-vos
Por criar uma situação que a todos liberte
E também o amor da liberdade
Faça supérfluo!

Em vez de serdes só razoáveis, esforçai-vos
Por criar uma situação que faça da sem-razão dos indivíduos
Um mau negócio!

Bertold Brecht, in 'Lendas, Parábolas, Crónicas, Sátiras e outros Poemas'
Tradução de Paulo Quintela (retirado daqui)

5 comentários:

  1. o teatro como força transformadora da sociedade. brecht ao poder. a sério, maria.

    ResponderEliminar
  2. O que é que têm a ver as calças do Bertold Brecht com o cu do bispo da minha terra?
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. lino,

    o bispo da tua terra ou que está na tua terra? A única coisa que conheço do bispo da "tua terra" é que da única vez que participei na celebração de uma missa em que ele presidia, fui embora antes de terminar (já foi há uns anos)...começou a falar de perfumes (é a única coisa de que me lembro) e não terminava...e eu achei que tinha mais que fazer... e pus-me a andar.

    Nesta homilia de que também foram buscar uns extractos, não parece mais feliz: a Igreja em oposição ao mundo...é o costume. Confunde-se a bondade com pessoas bondosas...o amor com pessoas amorosas...e o oposto disto. Faço-me entender?

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Tens razão, é o bispo que está na sede do meu distrito, que eu sou limiano. Eu não conheço a personagem nem quero conhecer. Conheço pessoalmente alguns que são de outra estirpe (Vitalino, Policarpo, Clemente). E fizeste-te entender!
    Beijos

    ResponderEliminar