2011-03-26

dos muitos modos de iludir a fome

O meu jardim é um antijardim. Estou aqui porque não posso estar noutro lugar. Sigo por uma álea lateral. Numa curva do caminho vejo um gato que corre atrás dum pássaro: é um gato malhado. A cerca de cinco metros de distância de mim ambos estacam de repente. O gato espalma-se contra a relva, bate com a cauda nervosamente enquanto o pássaro está parado diante dele a cerca de um metro. Eu estaco aguardando os acontecimentos. Espero o ataque do gato. O pássaro numa extraordinária demonstração de confiança está parado diante do gato que treme mas não se mexe. Então o pássaro dá uns saltinhos para a direita e para a esquerda. Não levanta voo. Fica ali diante dele provocando-o. Um minuto, dois talvez. O gato continua com o ventre colado à relva fria batendo com a cauda agora mais lentamente. De repente surge outro pássaro. Pára também diante do gato. Por fim como o toureiro depois de dominado o touro o primeiro pássaro volta as costas ao gato exibindo o seu desprezo altivo. Nesse momento avanço para dar um álibi ao gato.

Ana Hatherly - "463 tisanas"

Sem comentários:

Enviar um comentário