2011-05-04

 Ferrnando Lemos, Lygia Fagundes Telles, s/d, s/l
Fernando Lemos © Colecção Fundação Cupertino de Miranda




 

A CHESTER KALLMAN


Hão-de os olhos chorar solitários
Até à derrota do Meu Querer.

Mas o Meu Querer pode apartar-se,
Que não tem o tacto necessário
Para se defender do Meu Saber,
Mas o Meu Querer pode apartar-se.


Então crescerão juntos os Eus,
Eu sou porque Eu Amo,
Eu não Possuo Eu Sou Amado,
Então crescerão juntos os Eus.


Até à derrota do Meu Querer
Hão-de os Eus chorar solitários.

W.H. Auden "Outro Tempo"
tradução Margarida Vale de Gato

2 comentários:

  1. para já temos a promessa...mas a racionalidade por vezes atrapalha.


    beijinho (é sempre uma boa surpresa apareceres por aqui)

    ResponderEliminar