2011-05-24

Quando falham as oportunidades de vencer a estupidez

O marido (presumo) solícito, veio trazer a garrafa de água que ficou esquecida no carro. Olhou em redor, e ao ver as dezenas de pessoas que aguardavam no átrio, atirou para o ar:"Isto é só política! É só para a estatística" E saiu, sem resposta. Deduzi que ia esperar sentado no carro.
Elas continuaram a falar dos  chás e tisanas, dos netos, da Nossa Sra de Fátima,  dos beatos recentes, e não tardou que a sexagenária, cujo marido (presumido) tinha feito a avaliação que cito acima, dizia a intervalos, olhando em redor:"Isto é só política! É para a estatística!".
À terceira repetição, inquiri:A senhora também vai receber um certificado? - Vou, respondeu. Alguém fez o trabalho por si, ou frequentou as sessões de formação? Claro que não! Afirmou, convicta.
Então para que está aí a repetir que isto é só política...?
Na sessão, vi que recebeu  certificação do 9º Ano. Um certificado desperdiçado.

2 comentários:

  1. pois. irritou-me ela ficar feita "papagaia" a repetir o que o marido disse.

    Uma das dificuldades que as pessoas têm é falta de sentido crítico. E serem capazes de reflectir sobre qualquer situação para além dos estímulos imediatos.

    É também um dos objectivos das NO. Em muitos casos não se consegue nada...mas há sempre passos a dar nesse sentido.

    Beijos

    ResponderEliminar