2011-05-05

uma presença que ilumina

vigiar

desafiai o deserto
a fuga mundi
a desistência
 
arrancai ao caos
o canto livre
 
deixai a prisão
que pisa aos pés a vida
em nome da pós-vida
 
entrai no abismo do silêncio
que ilumina
 
esclarecei a distância
entre o poder e as verdades
 
pensai o acontecimento
a excepção, a mudança
 
entrai no Aberto
que a Palavra tece
 
querei o não-querer
que faz o pobre
 
largai a técnica
da autoflagelação
e do cálculo
 
o claro está no escuro
e na limitação passiva
do que nele fulgura
e leva ao Dia
 
meditai na vida
não na morte
 
a Páscoa está na dor
que ressuscita

Frei José Augusto Mourão op

Sem comentários:

Enviar um comentário