2011-07-19

parece uma questão marginal

mas não é. Pertinente, é também, a incapacidade para ler e entender um texto (que algumas pessoas demonstram nos comentários) que é claro quanto à sua forma e conteúdo. Um mal que se entenderia em pessoas menos letradas e com baixo nível de escolaridade, mas que se encontra em pessoas com elevados graus académicos. Surpreendente.

8 comentários:

  1. Fiquei estupefacta com os comentários aquele texto tão certeiro. Ainda nem estou em mim... Porque é que terá levantado uma polémica assim? O que move as pessoas realmente?

    ResponderEliminar
  2. É um grande indicador das mentalidades mesquinhas que campeiam ali para os lados das Laranjeiras. Com apelos à bufaria e tudo. Sempre disse que filha minha não ia beber daquela ideologia.
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Mas desde quando é que a Universidade Católica tem algo a ver com a religião?

    ResponderEliminar
  4. Lucy,

    a polémica não é o problema. Há uma norma que foi divulgada e as pessoas pronunciam-se: a favor ou contra.

    Eu partilho (no essencial) das ideias expressas no texto do António Marujo.

    Os comentários são desoladores. A maioria deles envereda por outros assuntos que não têm nada a ver com o sentido do post. Porquê?

    ResponderEliminar
  5. Bom, disseste! E ela assim fez? ;)

    Não surpreende muito esta questão na católica.

    Beijos

    ResponderEliminar
  6. On,

    a UC foi instituída e é apoiada pela Igreja Católica. É suposto que promova, de diversas formas, os valores cristãos.

    ResponderEliminar
  7. Pois Maria, eu sei.
    Mas também conheço muitos ex-alunos da católica. É dificil encontrar uma instituição ligada à igreja que esteja tão longe dos seus ideais.
    Basta olhar para as ideias ultra liberais ensinadas nos cursos de economia.
    Um colega meu que por lá andou em 76 e vestia num estilo a roçar o hippie era totalmente marginalizado. Um amigo meu que também lá andava, ia sempre à igreja e tem um irmão padre, achava muito bem.
    A Católica é das universidades portuguesas que pior trata os seus professores. Vale tudo.

    ResponderEliminar
  8. Claro. O texto do António Marujo quer questionar também essa situação. Alguns católicos são críticos em relação a isso.

    ResponderEliminar