2011-08-28

Larghetto dos Prazeres - Pedro Caldeira Cabral

porque hoje é domingo

Vós me seduzistes, Senhor, e eu deixei-me seduzir;
Vós me dominastes e vencestes.
Em todo o tempo sou objecto de escárnio,
toda a gente se ri de mim;
porque sempre que falo é para gritar e proclamar:
«Violência e ruína!»
E a palavra do Senhor tornou-se para mim
ocasião permanente de insultos e zombarias.
Então eu disse:
«Não voltarei a falar n’Ele,
não falarei mais em seu nome».
Mas havia no meu coração um fogo ardente,
comprimido dentro dos meus ossos.
Procurava contê-lo, mas não podia.

(Jer 20, 7-9)

2011-08-27

a metanoia necessária...

A expressão “para que todos sejam um”, em João 17, indicativa do propósito da unidade, não significa uniformidade, mas fidelidade ao núcleo central: o exercício do amor a Deus e ao próximo.

daqui 


2011-08-26

Madredeus - As Cores do Sol

As Cores Do Sol

Ao cair da tarde
Penso sempre mais
E a luz que me invade
São as cores naturais

Cada figura
que passa por mim
nem me perturba
e eu fico assim

Longe me leva este silêncio
é o sentir que se altera
são as cores do sol

E eu fico encantada
e eu sinto-me a arder
quando o dia se apaga
deixa tanto por ver

2011-08-23

Amália Rodrigues - "Cansaço"

a considerar: a questão não é a crença em diferentes deuses, mas aprender a considerar as diferentes expressões religiosas

A pluralidade religiosa é um dos traços mais característicos do século XXI. Não há como desconsiderar ou relativizar o traço da diversidade religiosa no tempo atual. Trata-se de um fenômeno irreversível, que tende a sublinhar a presença diversificada do outro como provocação permanente para a construção da identidade. O grande desafio está em compreender essa pluralidade religiosa não como um dado conjuntural passageiro ou fruto de cegueira problemática dos seres humanos, mas como um mistério transbordante, um dom que corresponde a um misterioso desígnio de Deus para a humanidade. A espiritualidade é um dos caminhos frutuosos para a percepção do valor da diversidade. Ela possibilita a afirmação da humildade, da abertura desarmada para o outro e igualmente uma consciência viva da vulnerabilidade dos caminhos que levam a Deus no tempo. Talvez seja um dos campos mais propícios para a percepção do valor da interreligiosidade, da dinâmica de dom que envolve a relação e a comunhão entre as diversas religiões, preservando os traços essenciais que as distinguem.

Faustino Teixeira, aqui

2011-08-21

porque hoje é domingo #2

porque hoje é domingo


Luz e sombras de amor ressuscitado

Tristemente convivo com a tua ausência
sobrevivo à distância que nos nega
enquanto contorno a fronteira entre  os
dois mundos
sem decidir qual deles pode dar-me
a calma que me exijo para amar-te
sem sofrer pela tua indiferença.
A minha retirada preventiva
duma batalha que já sei perdida
resoluto a não mais entrar em ti
mas não à tortura de evitar-te.

Lois Pereiro  (tradução minha)

2011-08-18

Depois da cinza morta destes dias

Depois da cinza morta destes dias,
Quando o vazio branco destas noites
Se gastar, quando a névoa deste instante
Sem forma, sem imagem, sem caminhos,
Se dissolver, cumprindo o seu tormento,
A terra emergirá pura do mar
De lágrimas sem fim onde me invento.


 Sophia de Mello Breyner Andresen


2011-08-16

e assim se perde o cristianismo...

“Estamos num tempo em que é preciso poupar e levar um estilo de vida diferente, as pessoas vivem acima das suas possibilidades e precisam de alguém que as chame à realidade"

Surpreendo-me com as declarações do Presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social, Carlos Azevedo, que fala para uma realidade que não é única no país, nem sequer devia ser a que lhe merecia mais atenção. Da Igreja, espera-se que, em primeiro lugar, tenha atenão aos mais pobres. Carlos Azevedo foi o promotor da iniciativa de criar um fundo de apoio aos mais carenciados neste contexto de crise económica. Mas com estas declarações lá fico com a imagem da caridadezinha. É diferente uma opção de acção pelos mais pobres e medidas extemporâneas de quem dá o que lhe sobra.

2011-08-15


A fé é um milagre; no entanto ninguém  dela está excluído; porque é na paixão que toda a vida humana encontra a sua unidade, e a fé é uma paixão.

S. Kierkgaard - "Temor e Tremor"

2011-08-07


A Casa de Deus (está assente no chão)
Sophia de Mello Breyner Andresen

Desenho de Arpad Szenes.

A casa de Deus está assente no chão
Os seus alicerces mergulham na terra
A casa de Deus está na terra onde os homens estão
Sujeita como os homens à lei da gravidade
Porém como a alma dos homens trespassada
Pelo mistério e a palavra da leveza

Os homens a constroem com materiais
Que vão buscar à terra
Pedra vidro metal cimento cal
Com suas mãos e pensamento a constroem
Mãos certeiras de pedreiro
Mãos hábeis de carpinteiro
Mão exacta do pintor
Cálculo do engenheiro
Desenho e cálculo do arquitecto
Com matéria e luz e espaço a constroem
Com atenção e engenho e esforço e paixão a constroem

Esta casa é feita de matéria para habitação do espírito
Como o corpo do homem é feito de matéria e manifesta o espírito

A casa é construída no tempo
Mas aqui os homens se reunem em nome do Eterno
Em nome da promessa antiquíssima feita por Deus a Abraão
A Moisés a David e a todos os profetas
Em nome da vida que dada por nós nos é dada

É uma casa que se situa na imanência
Atenta à beleza e à diversidade da imanência
Erguida no mundo que nos foi dado
Para nossa habitação nosssa invenção nosso conhecimento
Os homens constroem na terra

Situada no tempo
Para habitação da eternidade

Aqui procuramos pensar reconhecer
Sem máscara ilusão ou disfarce
E procuramos manter nosso espírito atento
Liso como a página em branco

Aqui para além da morte da lacuna da perca e do desastre
Celebramos a Páscoa

Aqui celebramos a claridade
Porque Deus nos criou para a alegria

Páscoa de 1990


(in Igreja de Santa Maria,
Marco de Canaveses; poema
oferecido por Sophia à igreja;
in «Correntes D'Escritas», nº.
2, Fevereiro, 2003)


imagem daqui

reagir ao pacote de medidas para os pobrezinhos

Tempos de crise exigem medidas excepcionais: aí está uma verdade que o senhor de La Palice poderia subscrever. E tudo o que pudermos fazer para evitar a fome, a pobreza, a exclusão, parece mais do que justificado. Mas se, ao mesmo tempo que se oferece um almoço a alguém, há milhares de pessoas empurradas para o desemprego e para um custo de vida insuportável, então no fim do ciclo de excepção (diz o minstro que no fim de 2014) vamos ter um número de pobres muito maior do que o de hoje.

2011-08-06

jamais alguém O viu

Naqueles dias,
o profeta Elias chegou ao monte de Deus, o Horeb,
e passou a noite numa gruta.
O Senhor dirigiu-lhe a palavra, dizendo:
«Sai e permanece no monte à espera do Senhor».
Então, o Senhor passou.
Diante d’Ele, uma forte rajada de vento
fendia as montanhas e quebrava os rochedos;
mas o Senhor não estava no vento.
Depois do vento, sentiu-se um terramoto;
mas o Senhor não estava no terramoto.
Depois do terramoto, acendeu-se um fogo;
mas o Senhor não estava no fogo.
Depois do fogo, ouviu-se uma ligeira brisa.
Quando o ouviu, Elias cobriu o rosto com o manto,
saiu e ficou à entrada da gruta.

(1 Reis 19,9a.11-13a)

2011-08-02

la luna

                         A María Kodama

Hay tanta soledad en ese oro.
La luna de las noches no es la luna
que vio el primer Adán. Los largos siglos
de la vigilia humana la han colmado
de antiguo llanto. Mírala. Es tu espejo.


Jorge Luis Borges - Poesía completa