2011-08-07

reagir ao pacote de medidas para os pobrezinhos

Tempos de crise exigem medidas excepcionais: aí está uma verdade que o senhor de La Palice poderia subscrever. E tudo o que pudermos fazer para evitar a fome, a pobreza, a exclusão, parece mais do que justificado. Mas se, ao mesmo tempo que se oferece um almoço a alguém, há milhares de pessoas empurradas para o desemprego e para um custo de vida insuportável, então no fim do ciclo de excepção (diz o minstro que no fim de 2014) vamos ter um número de pobres muito maior do que o de hoje.

2 comentários:

  1. Que vão (ou vamos) ser muitos mais é um dado adquirido.
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. cada vez se torna mais evidente, Lino.

    Beijos

    ResponderEliminar