2011-10-09

O banquete é para todos. Sem condições

Naquele tempo,
Jesus dirigiu-Se de novo
aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos do povo
e, falando em parábolas, disse-lhes:
«O reino dos Céus pode comparar-se a um rei
que preparou um banquete nupcial para o seu filho.
Mandou os servos chamar os convidados para as bodas,
mas eles não quiseram vir.
Mandou ainda outros servos, ordenando-lhes:
‘Dizei aos convidados:
Preparei o meu banquete, os bois e os cevados foram abatidos,
tudo está pronto. Vinde às bodas’.
Mas eles, sem fazerem caso,
foram um para o seu campo e outro para o seu negócio;
os outros apoderaram-se dos servos,
trataram-nos mal e mataram-nos.
O rei ficou muito indignado e enviou os seus exércitos,
que acabaram com aqueles assassinos e incendiaram a cidade.
Disse então aos servos:
‘O banquete está pronto, mas os convidados não eram dignos.
Ide às encruzilhadas dos caminhos
e convidai para as bodas todos os que encontrardes’.
Então os servos, saindo pelos caminhos,
reuniram todos os que encontraram, maus e bons.
E a sala do banquete encheu-se de convidados.
O rei, quando entrou para ver os convidados,
viu um homem que não estava vestido com o traje nupcial.
E disse-lhe:
‘Amigo, como entraste aqui sem o traje nupcial?’.
Mas ele ficou calado.
O rei disse então aos servos:
‘Amarrai-lhe os pés e as mãos e lançai-o às trevas exteriores;
aí haverá choro e ranger de dentes’.
Na verdade, muitos são os chamados,
mas poucos os escolhidos».

2 comentários:

  1. O.


    quem for a uma missa católica, no dia de hoje, escutará o texto que postei (do Evangelho de Mateus - NT)e esta do profeta Isaías-AT:

    "Sobre este monte,
    o Senhor do Universo há-de preparar para todos os povos
    um banquete de manjares suculentos,
    um banquete de vinhos deliciosos:
    comida de boa gordura, vinhos puríssimos.
    Sobre este monte,
    há-de tirar o véu que cobria todos os povos,
    o pano que envolvia todas as nações;
    destruirá a morte para sempre.
    O Senhor Deus enxugará as lágrimas de todas as faces
    e fará desaparecer da terra inteira
    o opróbrio que pesa sobre o seu povo.
    Porque o Senhor falou.
    Dir-se-á naquele dia:
    «Eis o nosso Deus, de quem esperávamos a salvação;
    é o Senhor, em quem pusemos a nossa confiança.
    Alegremo-nos e rejubilemos, porque nos salvou.
    A mão do Senhor pousará sobre este monte»"

    Não parecem falar do mesmo Deus, pois não?

    Mas é da leitura das duas que se parte à procura de Deus. Não como entidade separada da criatura que o procura, mas no mais íntimo dela mesma. Não fosse isso e como é que achas que Abraão subia o monte?

    Ironias à parte, é o homem que se perde na rota do amor. Mas o convite permanece. E tu sabes!

    ResponderEliminar