2011-10-10

subscrevo a proposta: libertar Cristo da religião


Falo do Cristo porque o Cristo Redentor, aquele simpático senhor esculpido em concreto e pedra sabão que nos saúda de braços abertos do alto do Corcovado, completa 80 anos. O Cristo carioca, apesar dos braços abertos que evocam a posição do Cristo crucificado e agonizante pregado na cruz, não traz a dor nem o sofrimento estampados em sua expressão.
O Cristo carioca é sorridente, magnânimo, acolhedor e super gente boa, como dizem cariocas e turistas (e paulistas que vivem no Rio) ao contemplá-lo de quase qualquer canto da cidade. Parabéns a esse Cristo carioca, um Cristo diferente, um Cristo que não sofre, um Cristo que não morre, um Cristo sorridente, um Cristo colorido, um Cristo – se me permitem a heresia – sem religião.

daqui

Sem comentários:

Enviar um comentário