2012-01-24

como um rio



Estou na naquela posição delicada de uma pessoa que tem de ser cuidadosa para não desejar nada que não queira realmente. Devo admitir que o efeito tem sido eu desejar cada vez menos coisas. O único desejo que se acentua cada vez mais é o de dar. A sensação muito real de poder e riqueza que tal origina também é, de certo modo, assustadora - pois tem uma lógica que parece demasiado simples. É só quando olho à minha volta e me apercebo de que a grande maioria dos meus semelhantes faz um esforço desesperado por se agarrar ao que possui ou por aumentar as suas posses, que começo a perceber que a sabedoria de dar não é tão simples como parece. Dar e receber são no fundo a mesma coisa, dependem de se levar uma vida aberta ou fechada. Quem vive abertamente passa a ser um meio, um transmissor; vivendo assim, como um rio, experimenta-se a vida em toda a sua plenitude, flui-se com a corrente da vida e morre-se para viver outra vez como um oceano.


Henry Miller in "O Colosso de Maroussi"


Sem comentários:

Enviar um comentário