2012-01-13

a exorcizar os dias

Não é nada fácil a acção de me desligar dos fatalismos que  cingem os meus dias. Às investidas internas e externas, reajo como posso e sei. Por estes dias, saboreio a leitura do "Abraço" do José Luís Peixoto. Já me comovi, quase, quase, quase até às lágrimas com algumas das histórias que enchem de luz e calor este Abraço, e tomei como minha propriedade, esta expressão:"Tu és aquilo que sei sobre a ternura."
Bom é poder senti-lo, sabendo que se reporta a pessoas concretas e momentos vividos. Muitos.

2 comentários: