2012-01-04

quem ama não possui

(Mondovi, 7/11/1913 - Villeblevin, 4/01/1960)


Qualquer que fosse, aliás, a confusão aparente dos meus sentimentos, o resultado que eu obtinha era claro: mantinha as minhas afeições à minha volta para as utilizar quando quisesse. Não podia, pois, viver, confesso, senão com a condição de, sobre a terra inteira, todos os seres, ou o maior número possível, se voltarem para mim, eternamente disponíveis, privados de vida independente, prontos a responder ao meu chamamento, fosse em que momento fosse, votados, enfim, à esterilidade, até ao dia em que me dignasse favorecê-los com a minha luz. Em suma, para eu viver feliz era preciso que os seres que eu elegesse não vivessem. Só deviam receber a vida, de longe em longe, a meu bel-prazer.

Albert Camus in  "A Queda"



Sem comentários:

Enviar um comentário