2012-02-21

a máscara

Sinais dos tempos e da vasta gama de meios de comunicação de que dispomos, vivemos muitas vezes na ilusão de que somos transparentes. E tudo à nossa volta, idem. Escolhemos um traço do nosso modo de ser e de agir e, pronto, somos assim. Quem nos vê e connosco convive, muitas vezes, também não ajuda.
No outro dia alguém fazia a seguinte avaliação da minha pessoa: "é uma mulher de coragem". A minha reacção emocional foi de desconforto. Havendo situações em que a coragem esteve presente, também muitas houve em que a dita não se manifestou.
Em cada um de nós, convivem muitas e diferentes forças. Instintivamente, por segurança, colocamos a máscara que melhor nos protege. Isso não é, inevitavelmente, um mal. Para nós e para os outros. É preciso é que saibamos que máscara ostentamos.

Sem comentários:

Enviar um comentário