2012-02-15

para questões difíceis não há um sentir fácil

E a ideia de que aqueles que um dia amámos são de certa maneira os nossos mortos, ainda que estejam vivos. Mas há ainda isto, que é terrível e admirável: saber se o culto do passado deve incluir o respeito por quem nos fez mal. E se esse respeito é humanista ou masoquista, ecuménico ou hipócrita, um apagamento ou uma reconciliação.

Pedro Mexia, aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário