2012-03-24

como ficar crente

Num desses murmúrios que tantos de nós escrevemos neste diário aberto que são as redes sociais, alguém escreveu: "como é que ficamos crentes? também gostava de ser."
Ninguém ousou responder. Talvez porque esse acto de crer faça parte dos tais segredos sagrados (Sérgio Godinho in A Deusa do Amor).
A mim serviu para me encher de perguntas sobre a minha própria fé. Não tenho dúvidas que recebi a fé como testemunho pessoal de alguém que a procurava viver com uma coerência fora do comum.
Que tenho eu feito desse testemunho recebido? Testemunho que considero um bem precioso. Como o tenho tornado presente e real na minha vida? Eu, a quem a vida contemplou com extrema capacidade sensitiva - o que me abre imensas possibilidades. E também condicionantes.

No percurso feito, apreendo a tensão de passar além das imagens de um Deus bom (ou mau) que os sentidos manifestam. Aprender a viver com a fé dos "segredos sagrados" que nunca tem a mala pronta. Mas todos os dias é impelida a fazer viagem.

Sem comentários:

Enviar um comentário