2012-03-09

em pé de igualdade

De que igualdade se fala, quando falamos de igualdade? Sendo que a própria natureza é causadora de muitas das diferenças de que - como seres humanos - somos portadores.
Que critérios podemos usar para mantermos as nossas diferenças sem comparações nem juízos de valor?

4 comentários:

  1. eu quando penso em igualdade, penso sobretudo na igualdade de oportunidades, direitos e deveres.

    e não penso que seja uma coisa assim tão utópica ou infantil.

    podemos ser diferentes à vontade, vestir amarelo ou azul, mas era tão importante sentirmos, por exemplo, que existe uma justiça igual para todos e não uma justiça condicionada pelo poder financeiro e económico de cada um de nós.

    beijinho Maria C.

    ResponderEliminar
  2. Haverá sempre uns mais iguais do que os outros!
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Luís,

    Também não considero utópica, e muito menos infantil, (ou ingénua) a igualdade de oportunidades. Tendo consciência que as diferenças em que ocorre a vida de cada ser humano, neste planeta Terra que habitamos, é evidente. E viveremos uma cidadania tanto mais efectiva quanto mais nos empenharmos a reduzir algumas dessas diferenças. Há quem viva muito bem com elas e a nós, "penso eu de que..." também não tiram o sono.

    Mas não é só na exterioridade de condições de vida que a nossa atenção deve fixar-se. Reconhecer ao "outro" o direito à diferença, a sua capacidade de fazer caminho próprio, sem julgamentos e juízos de valor, não é assim tão simples como parece.

    beijinho, Luís

    ResponderEliminar
  4. Sim. Em cada um de nós há um "iluminado" em potência.

    Beijos, Lino

    ResponderEliminar