2012-03-03

quem dá do que lhe dão...

Subisse o mundo até à visão,
Até ao rumor da maravilha,
Até aos braços
Que seguram a forma de ser feliz
Em cada sopro iluminado
Pelo sol, areia, subindo, limpos
Até ao dia que nasce em cada ocaso,
Sede de lume.

Rui Almeida in "Caderno de Milfontes"
edição "volta d'mar"

Sem comentários:

Enviar um comentário