2012-04-30

o jardim das palavras



O jardim das palavras tem aromas.
Ternura cheira a cravo amor a rosa.
Os versos não se querem em redomas
é ao ar livre que a canção se goza.

Imaginai um sol de cromossomas
escolhendo a terra fértil por esposa
terra que em cada ciclo têm hormonas
que a tornam mais mulher. E mais formosa.

O jardim da palavra é o cio
o pólen   a cantata   o desvario
puta capaz de endoidecer um homem.

Poesia. Não amargo: doce rio
conchego das palavras contra o frio
de todos que resistem porque as comem.

José Carlos Ary dos Santos

3 comentários:

  1. boa escolha para um jardim que se ilumina com palavras.

    beijinhos Maria C.

    ResponderEliminar
  2. O Zé Carlos continua entre nós pela força das palavras!
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. e eu já vos disse que sem vocês isto não tinha gracinha nenhuma? :)

    Beijinhos Luís e Lino.

    ResponderEliminar