2012-05-27

porque hoje é domingo

Subitamente, fez-se ouvir, vindo do Céu,
um rumor semelhante a forte rajada de vento,
que encheu toda a casa onde se encontravam.
(Actos 2)

A fé é uma experiência interior. Também sujeita à interpretação. Não se tente, porém, segurar o vento.

9 comentários:

  1. Sim, Maria, tu sabes que és a mesma Maria, embora te diga, me faça um pouquinho de confusão como se concilia a Maria vibrátil e revolucionária da ilha, com a Maria crente e piedosa do jardim, mas na vida, com inteligência e bom senso, tudo é possível. Aliás, há quem diga, que Jesus Cristo, na sua vida de justiça e igualdade, foi o primeiro comunista na terra e talvez tenha mesmo sido, um dos poucos que cultivaram, na sua verdadeira essência, essa ideologia.
    Estranhas a costela sentir, porque não, também o coração é um músculo e não me digas que não o sentes.
    Maria, irei passar mais vezes, para olhar a opinião avalizada de alguém que olha a religião católica para além da igreja, para além do Vaticano, longe das sacristias...
    Dia de domingo muito belo para ti.
    (CM)

    ResponderEliminar
  2. tens razão.

    (mas Salir é bem mais abrigado que S. Martinho... :) )

    beijinhos Maria C.

    ResponderEliminar
  3. é verdade, Luís. Quem não gosta de vento, vai para Salir. :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Sou eu que estou confuso ou alguém te anda a confundir com outra Maria, a do "Cheiro da ilha"?
    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Hmmm, e como é que eu sei, Lino? Só quem escreveu os comentários poderá esclarecer. :)

    O que sei é o seguinte: mal anda a blogosfera se perde a vertente da fantasia. Por isso, até foram muito bem vindos os comentários a que te referes.

    Beijos e um reparo: mas eu posso lá ser confundida com outra Maria???!!! ;)

    ResponderEliminar
  6. Maria e meus caros amigos, penitencio-me (é assim que se diz, não?) se estou incorrendo num lapso, é que em Portugal 99% das mulheres são Marias e há mesmo alguns homens que também o são! Depois há Marias das Caldas da Rainha e Marias das Caldas, a diferença é, digamos, como o formato da loiça, há loiça das Caldas e louça das Caldas... pois! Depois também há Marias das Ilhas e Marias de Portugal, como se as Ilhas não fossem de Portugal, embora todas passem pelos jardins e sejam umas flores. Há Marias formadas em política de massas, outras versando teologia e outras inspiradas em poesia... enfim, uma confusão de Marias. Até eu podia ser Maria, se me chamasse Carlos Maria, por acaso sou CM, mas não sou Maria!
    Um beijo à querida Maria e abraços aos meus caríssimos amigos.

    ResponderEliminar
  7. pois claro...não há o mínimo mistério na minha identidade. Maria das Caldas...foto (de costas à porta da anta, mas sou eu mesma)freguesia etc...o leitor fantasia e escreve sobre a Maria que imagina. Somos sempre o que somos mais o que os outros "inventam"...tudo dentro da normalidade, portanto. :)

    O CM era desnecessário. Até porque não acrescenta nada.

    O que me interessa é a costela...mais logo postarei qualquer coisa que lhe será especialmente dedicado.

    Beijo, leitor. (especialista em louça das Caldas, pelos vistos)

    ResponderEliminar
  8. Não, Maria, não sou verdadeiramente apreciador da loiça das Caldas, ao contrário de algumas Marias que conheço, e vamos lá saber razões, são todas das Caldas, gostos nobres, claro!
    Não sou apreciador da loiça, mas sou apreciador da beleza das artes, daí gostar das pinturas rupestres de V.N.Fôz Côa, daí talvez também o meu interesse por loiça lascada, rachada, com desenhos antigos, a lembrar tempos de antanho, oriunda aí dessa ancestral terra...
    Beijo, de muito carinho, para não partir a loiça.

    ResponderEliminar