2012-05-28

a vida em imagens #3

S. Martinho do Porto, Maio 2012

A voz dos regatos que interpretas, pura explicadora, a voz das árvores onde pomos sentido no seu murmúrio - ah, meu amor ignoto, quanto tudo isso e nós e fantasias tudo de cinza que se escoa pelas grades da nossa cela.



O Livro do Desassossego - Fernando Pessoa

2 comentários:

  1. Olha, Maria, já não precisas fazer qualquer outro post para analisares do sentir da minha costela católica, a tal por parte da minha mãe, eu fiquei convencido com esta publicação, retrata o sntir da minha outra costela, esta por parte de mim... Estes amores ignotos, são a minha ilha, deste jardim que é o nosso Portugal!
    Beijo, Maria, com sabor a maresia, o perfume deste mar que é a minha fé, que é o meu deus...
    (CM)

    ResponderEliminar
  2. isso é que era bom...quem é que faz a agenda deste jardim?...mas eu não queria analisar nada (nem sequer os amores a Portugal)...apenas dar alento às costela.

    isto é que vai um enlevo...

    ResponderEliminar