2012-06-05

as barreiras que erguemos para nos protegermos do novo

[...] temos necessidade de macroconceitos. Assim como um átomo é uma constelação de partículas, que o sistema solar é uma constelação à volta de um astro, assim temos necessidade de pensar por constelação e solidariedade de conceitos.
Por outro lado, devemos saber que nas coisas mais importantes, os conceitos não de definem nunca pelas suas fronteiras, mas a partir do seu núcleo. [...]

Consideremos o amor e a amizade. Pode reconhecer-se nitidamente no seu núcleo o amor e a amizade, mas há também amizade amorosa, amores amigáveis. Há pois situações intermediárias, mistas entre o amor e a amizade; não há uma fronteira nítida. Nunca se deve procurar definir as coisas importantes por fronteiras. As fronteiras são sempre vagas, são sempre interferentes. É preciso pois procurar definir o coração, e esta definição exige frequentemente macro-conceitos.


Edgar Morin in "Introdução ao Pensamento Complexo"

Sem comentários:

Enviar um comentário