2012-06-09

autonomia/dependência

Por feitio e por educação, somos mais autónomos ou mais submissos. Não é fácil gerir uma consequente autonomia; dependemos dos genes, somos continuamente empurrados para enfileirar no pensar comum, ou de algumas maiorias, e a autonomia implica assumir as consequências das nossas decisões.

Balançamos sempre entre dois pólos: proximidade e autonomia. Precisamos cultivar a autonomia, porque a extrema dependência impede-nos de ser e que os outros sejam. Mas também teremos de saber ser próximos, pois o nosso egocentrismo pode levar-nos por caminhos de isolamento e desespero.

Autónomos ou submissos, o desafio é sempre o de sair das  zonas de conforto.

Sem comentários:

Enviar um comentário