2012-06-23

em busca da serenidade essencial



2*Pelo contrário, estou sossegado e tranquilo,
como criança saciada ao colo da mãe;
a minha alma é como uma criança saciada!


Salmo 131,2

2 comentários:

  1. Olha, Maria, a minha alma é como o meu neto, o 'malandreco' mesmo depois de mamar nunca fica saciado, quer sempre mais... por isso está gordinho e lindinho!
    A minha alma quanto mais voa, mais sabe que nunca vai saciar a sede de voar, mesmo depois de morrer há-de continuar por aí nos seus voos eternos.

    Um beijo, Maria.

    ResponderEliminar
  2. aqui o saciado é o exemplo da fé que confia. sem saber como...

    numa linguagem psicanalítica dir-se-ia que é vital ir além do ego. se utilizarmos o mesmo como única referência para as nossas buscas a única coisa que conheceremos é a insatisfação.

    bom, mas eu desconheço de que matéria é feita a alma dos poetas... :(


    beijo

    ResponderEliminar